Suécia fecha 4 cadeias por falta de presos: aprende Brasil!

SueciaSuecia
O Brasil tem muito o que aprender com a Suécia, principalmente em recuperação de detentos.
O governo daquele país europeu anunciou esta semana que vai fechar 4 cadeias e um centro de prisão preventiva.
O motivo?
O número de presos vem caindo 1% ao ano desde 2004, e a expectativa é de que caia mais ainda nos próximos anos.

“A queda é fora do comum. Teremos que fechar parte da nossa infraestrutura que não é necessária no momento”, delcarou o chefe do Sistema Penitenciário Sueco, Nils Öberg ao The Guardian.
Serão desativadas as prisões das cidades de Åby, Haja, Båtshagen e Kristianstad – as duas primeiras provavelmente serão vendidas e as restantes devem ser utilizadas por outros serviços públicos.
“Nos esforçamos muito na reabilitação e prevenção de recaídas dos presos. Isso certamente teve um impacto, mas não sei se pode justificar uma queda tão grande”, analisou Öberg.
Outra explicação para o declínio podem ser as penas menos severas aplicadas por tribunais suecos para crimes relacionados a drogas nos últimos anos.
População carcerária
Dados da organização World Prison Brief (WPB), mostram que os Estados Unidos têm a maior população carcerária do mundo, com 2 239 751 de detentos.
A China ocupa o segundo lugar com 1 640 000 pessoas atrás das grades.
Os presos da Rússia totalizam 681 600 pessoas e, em quarto lugar, está o Brasil, com 548 003 encarcerados.
A Suécia tem 4 852 presos.

Continue Lendo