Aos 15 anos superou bullying, depressão e passou em medicina na USP

Emanuelle Passarini - Foto: Fabiana Assis/G1Emanuelle Passarini - Foto: Fabiana Assis/G1

Uma adolescente de 15 anos que sofreu bullying por ser superdotada e teve depressão, mudou de colégio, deu a volta por cima e passou em medicina na USP, Universidade de São Paulo, em Bauru, no interior do Estado.

Emanuelle Marie Cassin Passarini, não teve um caminho fácil, apesar de ser muito inteligente. Ela conta que sofreu preconceito de colegas e professores que não entendiam seu comportamento na sala de aula.

Enquanto a média da população tem um QI entre 90 e 110, os superdotados têm mais 130. O da Emanuelle gira em torno de 160.

Continue Lendo