Cientistas brasileiras conseguem reverter esclerose com células-tronco

Ribeirão Preto é um dos principais centros de transplante de células-tronco do Brasil Foto: USP-RPRibeirão Preto é um dos principais centros de transplante de células-tronco do Brasil Foto: USP-RP

O transplante de células-tronco em pacientes com esclerose sistêmica induziu à produção de novas células e levou à remissão da doença, ou seja, que não há sinais de atividade dela.

A constatação foi feita por uma pesquisa no Centro de Terapia Celular (CTC) do Hemocentro e da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP), da USP.

Os resultados da pesquisa – que teve participação de pesquisadores da USP, com apoio de da Universidade Paris Diderot, da França – foram publicados na revista Blood Advances, da American Society of Hematology, em janeiro.

Continue Lendo