Estudantes criam fralda biodegradável feita de mandioca

Foto: divulgação / IFMTFoto: divulgação / IFMT

A história de um professor com Alzheimer inspirou alunos brasileiros a criarem uma fralda biodegradável a partir do amido de mandioca.

O feito é de estudantes do ensino médio do Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT), em Juína, a 737 km de Cuiabá. O professor e orientador deles, Aloizio Farias, precisa utilizar fraldas de plástico.

Os cinco alunos criadores da fralda ecológica vão apresentar o projeto em Recife, entre os dias 7 e 11 de março, a investidores, junto com outros vencedores da Maratona de Células Empreendedoras MT 2017.

Continue Lendo

A estudante Mariana Sacht Nunes contou que os alunos estão procurando investidores para conseguirem produzir as fraldas biodegradáveis em escala maior.

“Estamos pensando em fazer um financiamento coletivo na internet. Pesquisamos no mercado e ainda não existe um produto parecido com esse sendo comercializado”, disse ao 24 horas News.

De acordo com ela, os alunos tiveram apenas 4 horas para pensar em um projeto que solucionasse um problema social.

“Nos dedicamos muito, ficamos sem dormir para conseguir terminar o projeto. Estávamos confiantes que ficaríamos com um dos três primeiros lugares”, disse.

Além de Mariana, os estudantes Anderson de Brito Almeida, Evandro Carlos de Oliveira, Marcos Vinicius de Araújo, Wagner Leandro Júnior e Wanderson Perondi, participaram da criação do projeto “Toper Bio – Fraldas Biodegradáveis”.

Incentivo

Para Giovane, é importante a participação dos alunos em projetos de empreendimentos que buscam mudanças na sociedade. Ele contou que essa foi a primeira vez que viu alunos adolescentes virando noites em um projeto científico.

“Eles (os alunos) agarraram essa oportunidade com todas as forças. São alunos adolescentes moradores do interior do estado, que produziram coisas extremamente relevantes para a sociedade”, disse.

Com informações do 24 horas News

O conteúdo do SóNotíciaBoa é protegido. Você pode reproduzi-lo, desde que insira créditos COM O LINK para o conteúdo original e não faça uso comercial de nossa produção.