UFMG cria espuma que retira agrotóxico de alimentos

Foto: PixabayFoto: Pixabay

Cientistas da UFMG, Universidade Federal de Minas Gerais, criaram uma espuma de poliuretano capaz de detectar e absorver os pesticidas da água dos alimentos.

A descoberta foi publicada no periódico científico Journal of Hazardous e promete diminuir o risco de problemas de saúde trazidos por substâncias químicas usadas no cultivo de frutas, verduras e legumes.

Durante o trabalho científico, os especialistas realizaram testes complementares que verificaram se a espuma não extraía os nutrientes dos alimentos e o composto conseguiu retirar os agrotóxicos sem prejudicar as propriedades nutricionais dos alimentos.

“A eficiência é em torno de 70% da espuma com resíduo, e como resíduo puro chega a 95% da remoção do pesticida”, explicou Lena Braga, engenheira química e pesquisadora pós-doutoranda da UFMG, ao site do jornal O Tempo.

Como

O poliuretano é um tipo de matéria plástica. Ele é usado para criar esponjas, espumas isolantes térmicas e acústicas e solados de calçados, por exemplo.

O produto desenvolvido pelos pesquisadores mineiros foi criado a partir de resíduos da indústria petroquímica e componentes naturais, como óleo de mamona.

A mistura facilitou a interação de grupos químicos com os pesticidas e levou à identificação dos agrotóxicos.

A equipe também testou a capacidade de regeneração da espuma. Ela removeu o contaminante e recuperou o produto, que resistiu a cinco ciclos de reutilização sem chegar a saturar.

Embora o trabalho apresente resultados positivos, os cientistas afirmam que a técnica ainda precisa ser aprimorada.

No caso da alface, por exemplo, se a folha for colocada na água com a espuma, o pesticida não vai passar para o líquido.

Os cientistas pretendem desenvolver um filme plástico a partir do material da espuma que, ao envolver o alimento, consiga retirar os pesticidas.

Com informações do O Tempo e VivaBem

O conteúdo do SóNotíciaBoa é protegido. Você pode reproduzi-lo, desde que insira créditos COM O LINK para o conteúdo original e não faça uso comercial de nossa produção.