“Rave” para idosos tem som e alegria contra depressão

The Posh Club - Foto: Chris BethellThe Posh Club - Foto: Chris Bethell

Pensa que só jovem pode ir a uma “rave’ e curtir a vida? Em Londres vovôs estão deixando a solidão dentro de casa e ganhando as pistas de dança.

Com chá para uns, champanhe para outros, roupas de época e eles se divertem no Posh Club, uma casa frequentada exclusivamente por pessoas com mais de 60 anos que vivem do leste da capital da Inglaterra.

Lá, apenas os atendentes são jovens. A “Rave”dos vovôs tem uma diferença: o som começa às 2 horas da tarde, em vez das 2h da madrugada. Ah, também não tem o pancadão da música eletrônica. O som é rockabilly dos anos 50.

A missão do Posh Club é oferecer uma diversão semanal para os idosos se encontrarem, socializarem e curtirem num em estilo cabaré.

“Só porque você atinge uma certa idade, não significa que você não quer mais se divertir. Eu acho que a sociedade tem o hábito de esquecer isso. Muito do que nós, como pessoas mais jovens, fazemos para nos divertir, eles já viram e fizeram. Eles inventaram a maior parte”, disse Dicky Eaton, o produtor dos eventos, à Vice.

A casa espera que seus eventos sociais sejam reconhecidos, não apenas como diversão, mas como uma atividade de saúde pública.

Depressão

Estudos mostram que as atividades comunitárias entre os idosos ajudam a melhorar a cognição e a confiança, e é a melhor maneira de diminuir a ansiedade e a depressão.

Os promotores do evento estão fazendo um estudo sobre os efeitos positivos dessas festas para a saúde dos vovôs.

“O que estamos fazendo é realmente uma campanha anti-solidão apresentada como um evento do clube”, disse Dicky Eaton, o produtor dos eventos, à VICE .

“Muitos de nossos hóspedes talvez não saiam tanto quanto antes e não vêem amigos com tanta frequência. Bem, isso oferece uma maneira única de fazer as duas coisas, além de fazer parte de algo que é vibrante e estimulante ”.

Até agora a casa é um sucesso.

The Posh Club - Foto: Chris Bethell

The Posh Club – Foto: Chris Bethell

A casa

Lá todos vão vestidos para impressionar.

Saltos cubanos, bijuterias, capas e cartolas podem ser vistos.

O evento começa com o chá da tarde servido por cerca de 20 voluntários vestido com coletes.

Ah, muitas vezes há um imitador de Elvis movimentando o palco.

Será que a “Rave” para idosos pegaria no Brasil? rs

A ideia

A ideia foi dos fundadores do clube Duckie, Simon Casson e da irmã Annie Bowden.

A mãe deles se mudou de Hackney para Crawley há sete anos e, aos 80 anos, sentiu-se sozinha.

Para animá-la, os dois irmãos fizeram uma festa de chá vintage na sala da casa.

Eles convidaram dois vizinhos – ambos na casa dos 90 -, serviram sanduíches e tocaram discos de 1940 em um velho gramofone.

As três senhoras adoraram tanto que Simon e Annie decidiram que iriam fazer de novo. Mas desta vez em um salão da igreja local e com convites sendo enviados para pessoas idosas da vizinhança.

Eles decoraram o local, conseguiram mais alguns discos de segunda mão, chamaram alguns amigos para atuar como garçons e os pequenos encontros logo se transformaram na “Rave” para idosos.

Com informações do GNN e Vice

O conteúdo do SóNotíciaBoa é protegido. Você pode reproduzi-lo, desde que insira créditos COM O LINK para o conteúdo original e não faça uso comercial de nossa produção.