10 melhores cidades do mundo pra se viver. Ranking 2018

Viena/Áustria - Foto: PixabayViena/Áustria - Foto: Pixabay

A melhor cidade do mundo pra se viver hoje é Viena, na Áustria.

Ela ultrapassou Melbourne, na Austrália, que apareceu durante 7 anos na liderança, de acordo com o ranking 2018 do The Economist Intelligence Unit.

A lista leva em consideração os critérios de estabilidade, saúde, cultura, educação e infraestrutura de 140 cidades.

Em uma pontuação que vai de 1 a 100, Viena marcou 99.1, enquanto Melbourne ficou com 98.4.

Veja as 10 melhores cidades do mundo/2018

1. Viena, Áustria
2. Melbourne, Austrália
3. Osaka, Japão
4. Calgary, Canadá
5. Sydney, Austrália
6. Vancouver, Canadá
7. (empate) Toronto, Canadá
7. (empate) Tóquio, Japão
9. Copenhague, Dinamarca
10. Adelaide, Austrália

Segurança

A lista do Economist, divulgada em agosto, aponta uma melhora em níveis de segurança e estabilidade em boa parte das cidades no último ano, após período de alerta em torno do terrorismo.

Foi a melhora nessa categoria que impulsionou a mudança no topo.

Embora tenha perdido a liderança, a Austrália pode se orgulhar de ter outras duas cidades entre as dez melhores: Sydney (5º) e Adelaide (10º).

Outro país com três cidades no topo da lista é o Canadá, que é representada por Calgary (4º), Vancouver (6º) e Toronto (7º).

O Top 10 é completado por duas cidades japonesas, Osaka (3º) e Tóquio (7º), e por Copenhague, na Dinamarca.

Segundo o relatório, algumas das grandes cidades do mundo são “vítimas de seu próprio sucesso”, já que as metrópoles costumam sofrer com problemas de trânsito e violência.

Isso deixa Paris apenas na 19ª posição, Londres em 48º e Nova York em 57º.

Brasil

Rio de Janeiro e São Paulo, as capitais brasileiras analisadas, ficaram em 88º e 93º lugares, respectivamente.

Rio e São Paulo melhoraram no ranking. No ano passado, a cidade do Rio havia sido classificada em 90º lugar e, São Paulo, em 94º.

O avanço das duas cidades se deu por causa da melhoria no fator “estabilidade” – em que a EIU analisa a prevalência de crime violento, a ameaça de terror, conflito militar e distúrbios civis.

Várias cidades do ranking avançaram nessa categoria: “após anos de instabilidade, houve o retorno de uma relativa estabilidade global”, diz o estudo.

As notas das cidades brasileiras em saúde, cultura, educação e infraestrutura permaneceram iguais.

Piores cidades

Entre as cidades que mais pioraram nos últimos cinco anos, duas estão na América do Sul.

Caracas, na Venezuela, e Assunção, no Paraguai, só não tiveram quedas maiores em sua pontuação no período do que Damasco, na Síria, que sofre com uma guerra civil desde 2011; Kiev, na Ucrânia, que vive conflito com a Rússia, e San Juan, em Porto Rico, devastada pelo furacão Irma neste ano.

As cidades que mais subiram sua pontuação nos últimos cinco anos foram Abidjan, na Costa do Marfim, e Hanói, no Vietnã.

Na lista das dez piores cidades para viver, Damasco, na Síria, repete o resultado do último ano com a pior posição.

Das dez cidades com pior pontuação, seis ficam na África, mas as duas piores —Damasco e Dhaka, em Bangladesh— ficam na Ásia:

131. Dakar, Senegal
132. Argel, Argélia
133. Douala, Camarões
134. Tripoli, Líbia
135. Harare, Zimbábue
136. Port Moresby, Papua Nova Guiné
137. Karachi, Paquistão
138. Lagos, Nigéria
139. Dhaka, Bangladesh
140. Damasco, Síria

Com informações do The Economist

O conteúdo do SóNotíciaBoa é protegido. Você pode reproduzi-lo, desde que insira créditos COM O LINK para o conteúdo original e não faça uso comercial de nossa produção.