Cientistas criam esôfago humano a partir de células-tronco

A imagem apresenta as camadas de tecido de um organoide de esôfago de dois meses Foto: Hospital Infantil de Cincinnati.A imagem apresenta as camadas de tecido de um organoide de esôfago de dois meses Foto: Hospital Infantil de Cincinnati.

Pesquisadores do Hospital Infantil de Cincinnati, em Ohio, nos EUA, criaram pela primeira vez, um esôfago em laboratório.

Para entender completamente as doenças do trato digestivo, os cientistas precisam olhar para todo o sistema, já que os componentes estão interligados e um afeta o outro. Eles já conseguiram reproduzir intestino, estômago, cólon e fígado.

E agora que fizeram um esôfago, falta a boca, ânus, pâncreas e vesícula biliar.

Órgãos cultivados a partir de células-tronco de pacientes oferecem esperança de que os cientistas possam um dia estudar defeitos e doenças e mudar o destino de milhares de pessoas que esperam durante anos por transplantes… e muitas vezes não sobrevivem.

O esôfago de células-tronco poderia ser uma grande oportunidade para os cientistas estudarem também os cânceres do esôfago e evitar testes invasivos dolorosos, ou até que fiquem doentes.

O esôfago

O órgão é a passagem entre a garganta e o estômago.

O tubo muscular direciona a comida para dentro do trato digestivo, o que significa que qualquer problema dentro dela pode perturbar totalmente nossa nutrição.

há 20 anos – com um pontinho nos cronogramas de pesquisas médicas – os médicos descobriram uma doença chamada esofagite eosinofílica.

A condição é chamada de tipo particular de glóbulo branco que reveste o esôfago. Em níveis normais, essas células imunológicas ajudam a proteger contra infecções, mas em excesso, elas podem se acumular na passagem. Essa inflamação pode tornar a deglutição difícil ou mesmo impossível.

A esofagite eosinofílica é a causa número um de engasgo com alimentos.

Os médicos acham que a condição provavelmente decorre de alimentos ou outras reações e refluxo ácido, mas ainda é relativamente nova e não muito bem compreendida.

A virada

Mas o esôfago recém-criado pode mudar isse quadro.

Os pesquisadores querem estudar outros problemas esofágicos comuns, incluindo a metaplasia de Barrett, um fator de risco para câncer de esôfago.

De acordo com Dr. Jim Well, principal autor do estudo, esse estudo a partir do esôfago e traqueia pode ser muito benéfico.

À medida que continuam a construir todo um trato gastrintestinal de células-tronco, o Dr. Wells e sua equipe podem ajudar de forma não invasiva 74% das pessoas que sofrem de algum tipo de problema gastrointestinal.

Com informações do Daily Mail

O conteúdo do SóNotíciaBoa é protegido. Você pode reproduzi-lo, desde que insira créditos COM O LINK para o conteúdo original e não faça uso comercial de nossa produção.