Papai Noel aprende Libras para atender crianças surdas

José Graciano - Foto: Wilson Araújo/ TV VanguardaJosé Graciano - Foto: Wilson Araújo/ TV Vanguarda

Um Papai Noel do interior de São Paulo aprendeu Libras, a língua brasileira de sinais, para atender crianças surdas.

O aposentado José Mário Graciano, de 69 anos, trabalha como Papai Noel em um shopping de São José dos Campos (SP).

Ele conta que há quatro anos está estudando Libras e vem conseguindo aprimorar a habilidade para conversar e entender crianças com deficiência auditiva.

O interesse surgiu no Natal de 2014, após o encontro com duas gêmeas.

“Chegaram para falar comigo duas gêmeas. Elas sorriram e eu sorri de volta. Aí o pai fez um gesto explicando que eram surdas. Fiz um movimento com o braço cruzando no peito, que significa abraço, mas foi no instinto, nem sabia que isso significava alguma coisa na língua de sinais. No ano seguinte fui fazer um curso de libras”, conta.

Agora com mais prática e conhecimento de libras, ele já entende melhor as crianças surdas pedem.

“Atendi um garoto e consegui entender que ele queria um relógio e uma máscara do [personagem] Ben 10. Para o relógio ele apontou para o pulso. Fez a letra ‘B’, que são quatro dedos apontados para cima e fez os números um e zero. Para explicar a máscara ele passava a mão sobre o rosto. Papai Noel tem que estar ligado nos personagens também”, explica.

Inclusão

José Mário Graciano foi criado sem mãe e tem um irmão cadeirante, de quem sempre cuidou.

Casado há 47 anos, pai de duas filhas e avô de três netos, ele conta que a experiência de vida ajudou a se tornar um Noel com foco em inclusão.

Ele explica que segue estudando a língua de sinais para aperfeiçoar a fluência.

“Eu sempre me preocupei em cuidar das pessoas. Continuo aprendendo”.

Com informações do G1

Espalhe notícia boa nas suas redes sociais. Siga o SNB no Facebook, TwitterInstagram e Youtube

O conteúdo do SóNotíciaBoa é protegido. Você pode reproduzi-lo, desde que insira créditos COM O LINK para o conteúdo original e não faça uso comercial de nossa produção.