Novo tijolo feito de xixi é mais resistente e ajuda o meio ambiente

Foto: Robyn Walker / Universidade da Cidade do CaboFoto: Robyn Walker / Universidade da Cidade do Cabo

Cientistas da Universidade da Cidade do Cabo, na África do Sul  criaram um tijolo sustentável, ou bio-tijolo, como chamam. Ele é feito à base de urina humana, areia e uma bactéria.

Os chamados bio-tijolos de xixi podem parecer nojentos, mas os cientistas garantem que eles oferecem vantagens em relação aos tijolos de barro convencionais, que há muito tempo são um dos pilares da indústria da construção.

Além de utilizar a urina que, de outra forma acabaria em instalações de processamento de resíduos, o processo de produção de tijolos biológicos gera nitrogênio e fósforo, que podem ser usados na fabricação de fertilizantes.

E enquanto o processo de cozimento usado para fazer tijolos de argila libera grandes quantidades de dióxido de carbono do gás de efeito estufa, os tijolos biológicos são feitos à temperatura ambiente.

Como

Para fazer os bio-tijolos, os pesquisadores primeiro coletam urina usando um mictório especial para fertilizantes, instalado em um banheiro da universidade.

Então eles pegam o líquido que sobrou depois que o fertilizante foi removido e o misturam com areia e uma linhagem de bactéria, que produz uma enzima chamada urease.

A urease decompõe a uréia, um componente chave da urina, enquanto produz um composto que une as partículas de areia para criar um tijolo duro de cor cinza.

A mistura de bio-tijolos leva cerca de uma semana para endurecer em sua forma final, seja um cilindro ou um retângulo tradicional.

“Quanto mais tempo você permitir que as pequenas bactérias produzam o cimento, mais forte será o produto”, disse Dillon Randall, professor de engenharia de qualidade da água na universidade, em uma entrevista recente.

O cheiro

Diz-se que os tijolos biológicos não representam riscos para a saúde e, embora inicialmente liberem um forte cheiro de amônia, o odor geralmente se dissipa em poucos dias.

Variando os moldes usados para formar os tijolos e o tempo que o processo químico é permitido continuar, os pesquisadores são capazes de produzir tijolos em várias formas e pontos fortes.

“Meu trabalho de pesquisa se concentra em repensar as águas residuais como um recurso “, disse Dillon Randall.

“Algumas coisas que descartamos – como urina – podem ser convertidas em um recurso útil”.

Foto: Robyn Walker / Universidade de Capetwon

Foto: Robyn Walker / Universidade de Capetwon

Com informações da NBC News

Espalhe notícia boa nas suas redes sociais. Siga o SNB no Facebook, TwitterInstagram e Youtube

O conteúdo do SóNotíciaBoa é protegido. Você pode reproduzi-lo, desde que insira créditos COM O LINK para o conteúdo original e não faça uso comercial de nossa produção.