Histórico: China pousa no lado inexplorado da Lua. Assista!

Foto: reprodução / TheSunFoto: reprodução / TheSun

A sonda chinesa Chang’e-4 aterrissou no lado escuro da Lua nessa quinta-feira (2), tornando-se a primeira nave espacial a fazer pouso suave no lado inexplorado do satélite. Esta parte, chamada de “lado escuro da lua”, nunca é vísivel a partir da Terra.

Integrada por um pousador e um veículo explorador, a sonda desceu na área pré-selecionada da Lua às 10h26 (hora de Pequim), anunciou a Administração Nacional Aeroespacial da China.

As novas imagens do lado mais distante da Lua, capturadas pela câmera de aterrissagem na sonda lunar Chang’e-4 da China, foram liberadas assim que a aeronave pousou na superfície lunar.

Essas novas imagens oferecem uma nova visão do misterioso lado oposto da Lua, com a sonda Chang’e-4 ajustada para conduzir uma série de experimentos para explorar ainda mais as regiões lunares desconhecidas.

Yang Yuguang, professor da Empresa de Ciência e Indústria Aeroespacial da China, disse que o sucesso do touchdown é um marco importante para a China.

“O lado mais distante da Lua é tão significativo. Tem tantos recursos. E também, podemos ter um melhor entendimento da formação e evolução da Lua no futuro.

A missão

O foguete Long March-3B, que transporta a sonda, decolou do Centro de Lançamento de Satélites de Xichang, na província de Sichuan, no último dia 8.

A missão vai realizar tarefas de observação astronômica de rádio de baixa frequência, análise de terreno e relevo, detecção de composição mineral e estrutura da superfície lunar e medição da radiação de nêutrons e átomos neutros para estudar o meio ambiente.

De acordo com os meios de comunicação chineses, a sonda alunou na Bacia do Pólo Sul-Aitken, cratera que possui cerca de 2.500 quilómetros de diâmetro e 13 de profundidade e onde se situa a menor cratera, Von Kármán, o principal alvo de exploração deste dispositivo.

A equipa responsável pelo lançamento da Chang’e-4 pretende estudar partes da camada de rocha derretida que se encontra na Bacia, de modo a identificar as variações na sua composição.

Está ainda previsto o estudo do pó e fragmentos de rochas que se encontram à superfície, o que poderá permitir entender como a Lua foi formada.

A Bacia do Pólo Sul-Aitken é a maior, mais profunda e mais antiga cratera da Lua e teria sido originada por um impacto gigante nos primórdios do satélite natural.

Os especialistas acreditam que o acontecimento responsável por esta formação foi tão poderoso que perfurou a crosta da Lua e chegou ao manto.

Futuro

“No futuro, acredito que o projeto de exploração lunar da China terá três etapas – orbitar, aterrissar e também retornar amostras. A missão Chang’e-5 terá retornos de amostras do lado mais próximo da Lua. Acreditamos que será necessário e muito significativo ter amostras de volta do lado oposto. da Lua “, disse Yang em entrevista à China Global Television Network (CGTN).

“Desta vez, a missão Chang’e-4 teve um bom começo. Nós dominamos a tecnologia para aterrissar no outro lado da Lua, e a própria tecnologia de pouso e também a tecnologia de leitura de dados.”

Com informações da RTP/The Sun

Espalhe notícia boa nas suas redes sociais. Siga o SNB no Facebook, TwitterInstagram e Youtube

O conteúdo do SóNotíciaBoa é protegido. Você pode reproduzi-lo, desde que insira créditos COM O LINK para o conteúdo original e não faça uso comercial de nossa produção.