Alzheimer: hormônio produzido durante exercícios recupera memória

George Corones, 99 anos - Foto: Bradley Karanis / Getty ImagesGeorge Corones, 99 anos - Foto: Bradley Karanis / Getty Images

Cientistas brasileiros, da Universidade Federal do Rio de Janeiro, descobriram que um hormônio produzido durante exercícios físicos pode recuperar a memória e levar à melhora do Alzheimer, ou à possivelmente à esperada cura da doença.

Ginástica na piscina uma hora por dia, cinco vezes na semana, fez melhorar a memória de camundongos graças ao hormônio chamado irisina, descoberto há seis anos. Produzida nos músculos, com o estímulo da atividade física, a irisina cai na corrente sanguínea.

Os cientistas já conheciam o efeito dela para reduzir as reservas de gordura, mas este novo estudo – publicado nesta segunda-feira, 7, na revista “Nature Medicine” – mostra o poder do hormônio quando ele chega ao cérebro.

Continue Lendo