Rami Malek vence o Oscar de melhor ator por papel de Freddie Mercury

Foto: ABCFoto: ABC

O ator Rami Malek venceu, na madrugada desta segunda-feira (25), o Oscar de Melhor Ator, por seu papel na cinebiografia “Bohemian Rhapsody”, como Freddie Mercury, o vocalista da banda Queen. (vídeo abaixo)

Ele venceu Christian Bale (“Vice”), Bradley Cooper (“Nasce Uma Estrela”), Willem Dafoe (“No Portal da Eternidade”) e Viggo Mortensen (“Green Book”).

Esse é o primeiro Oscar dele na categoria. Malek também ganhou o Globo de Ouro pela atuação do ex-líder do Queen.

Todos os outros concorrentes do ator de origem egípcia já haviam ganhado o Oscar anteriormente.

Após receber a estatueta, Malek celebrou o cantor. “Fizemos um filme sobre um homem gay e imigrante que viveu sua vida sem pedir desculpas. E seu sucesso é a prova de que as pessoas querem ver isso”, afirmou.

“Sou filho de imigrantes do Egito, de primeira geração. Parte da minha história está sendo escrita agora. E não poderia ser mais grato a todos que acreditaram em mim.”

O ator aproveitou para agradecer à mãe, à família, ao Queen e a todos da equipe. “É monumental. Quero agradecer a todos que deram uma mão pra me colocar aqui”, disse, antes de citar grande parte dos produtores.

Trajetória

Rami Saíd Malek, de 37 anos, é um ator americano de origem egípcia. O início da carreira veio ao ser escolhido para um pequeno papel no seriado “Gilmore Girls”.

A carreira de Malek também inclui papéis em séries como “The Pacific” e “The War at Home”. Ele ainda esteve em filmes como “Temporário 12” (2013) e “Papillon” (2017).

O papel que o apresentou ao grande público foi o do hacker da série “Mr. Robot”.

No cinema, a atuação mais marcante havia sido a de Faraó Ahkmenrah na franquia “Uma noite no museu”.

Os vencedores

O Oscar 2019 foi realizado em Los Angeles e premiou os melhores filmes do ano em 24 categorias. Foi a primeira cerimônia sem apresentador.

A cerimônia do Oscar consagrou ainda “Green Book: O Guia”, “Roma” e “Bohemian Rhapsody” neste domingo (24), em Los Angeles.

A noite também foi importante pelo recorde de maior número de prêmios para profissionais negros (7 estatuetas) e para mulheres (15) em toda história da premiação.

“Green Book: O Guia”, sobre a amizade entre um motorista racista e um músico negro, venceu como Melhor Filme.

A cinebiografia do Queen e de Freddie Mercury levou quatro estatuetas – melhor montagem, melhor edição de som e melhor mixagem de som – incluindo melhor ator para Rami Malek.

“Roma” deu três prêmios a Alfonso Cuarón, incluindo sua segunda estatueta como diretor e o primeiro Oscar de Filme Estrangeiro para o México

Olivia Colman, Melhor Atriz por “A Favorita”. No seu discurso, ela pediu desculpas a Glenn Close, com 7 indicações sem vitória, que era apontada como favorita.

Lady Gaga levou por Melhor Canção com “Shallow”, a única estatueta de “Nasce uma estrela”

Spike Lee ganhou seu primeiro Oscar “oficial”, após prêmio honorário em 2006. Foi pelo roteiro original de “Infiltrado na Klan”

“Pantera Negra” levou 3 prêmios: trilha sonora, figurino (o 1º para profissional negro) e direção de arte (1º para uma mulher negra).

A Netflix foi premiada quatro vezes: além de “Roma”, levou documentário em curta-metragem com “Absorvendo o tabu”.

Veja a premiação de Rami Malek:

Assista a abertura da cerimônia com o Queen e vocal de Adam Lambert:

Com informações do G1

Espalhe notícia boa nas suas redes sociais. Siga o SNB no Facebook, TwitterInstagram e Youtube

O conteúdo do SóNotíciaBoa é protegido. Você pode reproduzi-lo, desde que insira créditos COM O LINK para o conteúdo original e não faça uso comercial de nossa produção.