Depressão pós-parto: EUA aprovam 1º tratamento da história

Foto: PixabayFoto: Pixabay

O FDA, agência que controla remédios e alimentos nos EUA, aprovou um tratamento contra depressão pós-parto (PPD), específico para mulheres adultas.

Até agora existiam apenas aconselhamento de saúde mental, terapia e antidepressivos padrão, muitos dos quais podem levar semanas – até meses – para entrar em vigor.

Nas pesquisas, o novo medicamento mostrou que consegue aliviar os sintomas depressivos poucas horas depois de ter sido administrado, sucesso que se manteve ao longo de 30 dias de acompanhamento.

A droga Zulresso está sendo vendida pela Sage Therapeutics.

Como

O tratamento é administrado por meio de uma longa sessão de gotejamento intravenoso de 60 horas em um ambiente clínico.

A Dra. Samantha Meltzer Brody, diretora do Programa Perinatal de Psiquiatria do Centro de Transtornos do Humor da Mulher da UNC e principal pesquisadora dos testes clínicos do Zulresso, elogiou a droga como “uma abordagem revolucionária no tratamento da DPP”.

“O potencial para reduzir rapidamente os sintomas nesta desordem crítica é um marco estimulante na saúde mental das mulheres”, disse Brody.

 

Paciente

Stephanie Hathaway, mãe de dois filhos que participava dos testes de drogas, disse à CNN que optou pelo tratamento depois que sua saúde mental teve uma reviravolta após o nascimento de seu segundo filho – e ela notou uma mudança imediata em sua vida e humor.

“Foi uma infusão de 60 horas e nas primeiras 12 a 18 horas senti a maior diferença”, disse Hathaway.

“Nas duas primeiras semanas [depois da gravidez] eu estava chorando demais… depois disso, tive pensamentos intrusivos. Essas foram: “Sua filha merece uma mãe melhor” e “Seu marido merece uma esposa melhor”.

“Aqueles pensamentos intrusivos que tocaram repetem em minha cabeça, aqueles foram embora e não voltaram.”

Muito caro

De acordo com Jeff Jonas, diretor executivo da Sage Therapeutics , o tratamento deve estar disponível ao público em junho.

Inicialmente ele terá um preço muito caro, dezenas de milhares de dólares.

“Acreditamos que Zulresso irá abordar uma necessidade importante para a saúde mental das mulheres”, disse Jonas.

“Zulresso será um catalisador para iniciar um novo diálogo enfatizando a importância da saúde mental das mulheres e a importância de diagnosticar e tratar a DPP”.

A doença

A depressão pós-parto é a complicação médica mais comum do parto. Afeta aproximadamente uma em nove mulheres que deram à luz nos EUA e 400.000 mulheres anualmente.

Embora a condição seja distinta e prontamente identificada como um transtorno depressivo maior, que pode ocorrer durante a gravidez e após o parto, mais da metade desses casos pode não ser diagnosticada sem a triagem adequada.

Os sintomas podem durar meses, às vezes até anos após a gravidez.

Isso pode ter consequências devastadoras para uma mulher e sua família, algumas das quais podem incluir comprometimento funcional significativo, humor deprimido, perda de interesse em seu recém-nascido e sintomas associados de depressão. como perda de apetite, dificuldade para dormir, desafios motores, falta de concentração, perda de energia e baixa autoestima.

Além disso, o suicídio é a principal causa de morte materna após o parto.

Com informações do GNN

Espalhe notícia boa nas suas redes sociais. Siga o SNB no Facebook, TwitterInstagram e Youtube

O conteúdo do SóNotíciaBoa é protegido. Você pode reproduzi-lo, desde que insira créditos COM O LINK para o conteúdo original e não faça uso comercial de nossa produção.