Estudante baiana faz vaquinha e atinge meta pra estudar em Stanford

Foto: Arquivo PessoalFoto: Arquivo Pessoal

Quézia Ferreira, de 16 anos, já ultrapassou a meta de arrecadar 9 mil reais numa vaquinha eletrônica para fazer um curso de verão da Universidade de Stanford, na Califórnia, EUA.

A baiana, aluna do ensino médio da rede pública e moradora de Terra Nova, a cerca de 70 km de Salvador ganhou a bolsa integral, mas não tinha como custear a viagem.

Quézia é a caçula de cinco irmãos. A mãe da estudante trabalha como merendeira e o pai é motorista.

A vaquinha on-line começou no último dia 06 de abril e em menos de mês atingiu a meta:  chegou a 9.080 reais arrecadados, bem antes do dia de encerramento, marcado para 24 de junho.

O valor será usado para tirar os documentos necessários para a saída do Brasil e entrada nos Estados Unidos e comprar as passagens.

Planos

Quézia Ferreira busca experiência para tentar o ensino superior fora do Brasil. Para isso, a adolescente aprendeu o inglês intermediário sozinha.

“Quero uma amostra do que é estudar lá fora [outro país], de como funciona lá. Além de fazer o curso, melhorar meu inglês, e ter a melhor experiência possível. Stanford vai ser uma das que vou tentar ingressar.”

Antes de Stanford, a garota chegou a ser aprovada na Universidade Wake Forest, na Carolina do Norte, mas o curso não seria gratuito e, por isso, desistiu.

Persistência

Depois de algumas reprovações em outras instituições e já sem esperança, a estudante foi surpreendida com um e-mail de convocação da Universidade de Stanford, no dia 4 de abril.

As aulas de Quézia devem começar no dia 15 de julho e seguem até 2 de agosto. O curso pertence às áreas de física e ciência da terra.

Durante a estadia na universidade, a estudante aprenderá “como usar bem a linguagem pode ajudar a salvar o mundo”.

quezia_stanford2

 

Com informações do G1

Espalhe notícia boa nas suas redes sociais. Siga o SNB no Facebook, TwitterInstagram e Youtube

O conteúdo do SóNotíciaBoa é protegido. Você pode reproduzi-lo, desde que insira créditos COM O LINK para o conteúdo original e não faça uso comercial de nossa produção.