Cirurgia inédita no Brasil: mãe doa intestino e salva filha em SP

Priscila e Serena - Fotos: arquivo pessoalPriscila e Serena - Fotos: arquivo pessoal

A mãe da menina Serena, de 3 anos, salvou a vida da filha. Ela doou parte do intestino delgado para a criança, que precisava de um transplante.

A cirurgia inédita no Brasil foi feita pela equipe médica do Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, e durou quase 12 horas. Serena teve alta na última quinta, 9 e já consegue se alimentar por via oral.

Com Síndrome do Intestino Curto, condição decorrente da Artresia de Cólon – uma malformação ou ausência de parte do intestino delgado – a menina já havia passado por oito cirurgias.

Nenhuma delas foi capaz de reconstruir o intestino, ao contrário. A cada cirurgia, Serena perdia alguns centímetros do seu intestino delgado –  responsável pela absorção dos alimentos – que ficou com apenas 5 cm ao final. Além de ter pedido metade do intestino grosso, responsável pela digestão do alimento e evacuação.

“Nos primeiros seis meses, a Serena já tinha feito oito cirurgias de intestino. Na última, o cirurgião disse que não tinha mais o que fazer. Ela não tinha intestino para comer e sobreviver”, disse Priscila Carvalho ao RPA.

A menina não podia se alimentar por via oral e já recebia nutrição na veia, também conhecida como nutrição parenteral, que usada por muito tempo, pode comprometer o funcionamento de órgãos como o fígado e o rim.

O transplante

A família tentou fazer o transplante de intestino de Serena no exterior, mas não deu certo.

Priscila soube que existia essa possibilidade através da Simone Rosito, fundadora do Instituto Pequenos Grandes Guerreiros, que oferece assistência psicológica a famílias de bebês diagnosticados com Enterocolite Necrosante, uma doença que pode ocasionar a Síndrome do Intestino Curto.

Foi quando ela conseguiu o contato dos cirurgiões João Seda e Paulo ChapChap, do Hospital Sírio-Libanês, que fizeram o transplante de intestino em Serena.

Como Serena não conseguiu doador no Sistema Nacional de Transplantes, os médicos contaram à Priscila sobre a possibilidade dela ser a doadora.

A mãe fez os exames e parou de fumar para estar apta a doar mais de 1 m do seu intestino delgado à Serena.

Inédito

O transplante foi no mesmo dia do aniversário de Serena, dia 20 de fevereiro, no Sírio-Libanês.

Priscila doou 1 m e 60 cm do intestino delgado para a reconstrução do intestino de Serena.

Foi o primeiro transplante de intestino no país envolvendo um doador vivo.

“[Os médicos] são muito atenciosos, falo com eles diariamente. E tudo o que é feito pela Serena é através da filantropia do Sírio. Isso é muito legal!”, agradeceu Priscila.

Com informações do RPA

Espalhe notícia boa nas suas redes sociais. Siga o SNB no Facebook, TwitterInstagram e Youtube

O conteúdo do SóNotíciaBoa é protegido. Você pode reproduzi-lo, desde que insira créditos COM O LINK para o conteúdo original e não faça uso comercial de nossa produção.