“Funk do Penhor” faz idosa de 64 tirar nota máxima na faculdade. Vídeo

Mc Bockaum e a mãe, Lilian - Foto: reprodução / YoutubeMc Bockaum e a mãe, Lilian - Foto: reprodução / Youtube

Uma idosa, que está fazendo a terceira faculdade aos 64 anos, tirou nota máxima na semana passada com um trabalho inusitado: o “Funk do Penhor”. (Vídeo abaixo)

Formada em Economia e Contabilidade na UnB, dona Lilian de Azevedo Gonçalves cursa o quinto semestre de Direito na UDF, em Brasília. O grupo dela recebeu da professora Anelise a missão de participar de um seminário sobre práticas inovadoras explicando o que é “penhor”.

A turma teve a ideia de fazer a abertura do trabalho com uma música, mas ninguém sabia cantar. Foi aí que dona Lilian pediu ajuda ao filho dela, o Mc Bockaum.

Formado em Administração, o artista de Brasília já cantou com grandes nomes da música como Mr. Catra, Aviões do Forró, Mc Sapão e Gabriel Diniz, morto esta semana em acidente aéreo.

Ele tem clips com mais de 2 milhões de visualizações no Youtube e mais de 40 mil seguidores no Instagram.

“Na antevéspera da apresentação do seminário, sentei com minha mãe para que ela me desse as coordenadas do tema e a música ficou pronta em 15 minutos”, disse Mc Bockaum, de 35 anos, em entrevista ao SóNotíciaBoa.

Viralizou

Eles gravaram um vídeo, com mãe e filho cantando juntos e também apresentaram o resultado ao vivo na sala de aula.

Mc Bockaum foi até a faculdade para cantar no encerramento do seminário.

A apresentação fez o maior sucesso viralizou na UDF.

Mais que isso: dona Lilian e o grupo dela tiraram nota máxima no trabalho.

A letra

E quem disse que funk não é cultura?

Veja como a letra ensina direitinho o que é penhor e suas consequências para quem não paga a dívida:

Funk do Penhor (McBockaum)

Acabou o caô! É o funk do Penhor!

Quem entrega o bem é o devedor.

Mas quando pagar quem recebe é o credor.

Professora Anelise ensinou

E o Código Civil consolidou.

Se você tem algum bem a empenhar

O dinheiro pode vir na sua mão,

Mas a dívida você tem que quitar

Senão aquele bem vai a leilão.

História

Lilian de Azevedo Gonçalves nasceu em Goiânia e veio para Brasília aos 17 anos.

Na capital federal ela se casou, depois se separou do marido e criou sozinha quatro filhos, três delas meninas.

“Ela se separou do meu pai quando eu tinha 6 anos, porque ele saiu de casa. Ela criou a gente sem pensão, nem auxílio”, lembra Mc Bockaum.

O filho conta que a mãe, logo depois que se aposentou no serviço público federal “notou que para manter a vitalidade precisava continuar produzindo e aprendendo. Foi quando prestou o vestibular para a segunda graduação na UnB e passou em Ciências Contábeis”.

Ela se formou em 2015 e em 2016 começou a fazer a terceira faculdade, Direito.

Hoje ela trabalha no SESC, em cargo de nível superior e paga a faculdade, onde estuda à noite.

“Ela estuda em uma sala lotada de pessoas mais jovens que seus filhos e diz que tem ‘sede de saber’. E tem planos para o futuro: advogar, de preferência na área tributária”, conta Bockaum.

Assista ao vídeo do Funk do Penhor, onde a estudante é chamada de McLilian:

Por Rinaldo de Oliveira, da redação do SóNotíciaBoa

Espalhe notícia boa nas suas redes sociais. Siga o SNB no Facebook, TwitterInstagram e Youtube

O conteúdo do SóNotíciaBoa é protegido. Você pode reproduzi-lo, desde que insira créditos COM O LINK para o conteúdo original e não faça uso comercial de nossa produção.