Engenheiros criam ‘óculos autofocais’: corrigem visão automaticamente

Foto: Universidade de StanfordFoto: Universidade de Stanford

Óculos que corrigem o foco de forma automática e restauram a visão adequada pra pessoas que precisariam usar lentes progressivas.

É o que engenheiros da Universidade de Stanford, nos EUA, desenvolveram por meio de uma tecnologia de rastreamento dos olhos para controlar automaticamente um par de lentes com capacidade de autofoco.

Eles criaram um protótipo de “óculos autofocais”.

“Mais de um bilhão de pessoas têm presbiopia e criamos um par de lentes autofocais que poderão um dia corrigir sua visão de forma muito mais eficaz do que os óculos tradicionais,” disse Gordon Wetzstein, da Universidade de Stanford (EUA).

A presbiopia, um defeito de visão que atormenta a maioria das pessoas a partir dos 45 anos de idade, aparece porque as lentes naturais dos olhos, que são chamadas de cristalino, perdem a elasticidade necessária para focalizar os objetos mais próximos.

Para muitas pessoas, a única solução é usar lentes progressivas, ou multifocais, que têm o inconveniente de exigir que a pessoa alinhe a cabeça para enxergar adequadamente.

Uma lente artificial, capaz de focalizar os objetos de forma dinâmica, contudo, pode ser uma solução melhor.

Protótipo

Por enquanto o protótipo se parece com óculos de realidade virtual (veja foto abaixo), mas a equipe espera simplificar as versões posteriores e torná-los aceitáveis para uso no dia a dia.

As lentes com autofoco funcionam de forma muito parecida com a lente do olho: lentes cheias de fluido dilatam-se e contraem-se à medida que o campo de visão muda.

Sensores de rastreamento ocular usam uma técnica chamada triangulação para detectar para onde a pessoa está olhando e calcular a distância precisa até o objeto de interesse.

Tanto as lentes líquidas quantos os rastreadores oculares já existiam, mas a equipe desenvolveu o sistema de software que aproveita esses dados de rastreamento ocular para manter as lentes cheias de fluido em foco constante e perfeito.

O próximo passo será miniaturizar a tecnologia, reduzir o tamanho.

Wetzstein acredita que poderá levar alguns anos para desenvolver óculos autofocais leves, energeticamente eficientes e elegantes.

Mas ele está convencido de que as lentes autofocais são o futuro da correção da visão.

Foto: Universidade de Stanford

Foto: Universidade de Stanford

oculos_focais2

Com informações do Diário da Saúde

Espalhe notícia boa nas suas redes sociais. Siga o SNB no Facebook, TwitterInstagram e Youtube

O conteúdo do SóNotíciaBoa é protegido. Você pode reproduzi-lo, desde que insira créditos COM O LINK para o conteúdo original e não faça uso comercial de nossa produção.