Novo estudo mostra que substância no vinho tinto combate a depressão

Foto: PixabayFoto: Pixabay

O resveratrol, composto vegetal encontrado na casca de uvas e no vinho tinto, é a novo aliado da ciência contra a depressão.

Um novo estudo, publicado na revista científica Science Daily e realizado pela Universidade de Buffalo, nos EUA, aponta que o resveratrol bloqueia uma enzima relacionada ao controle de estresse no cérebro, o que afeta diretamente a saúde mental.

“Resveratrol pode ser uma alternativa eficaz aos medicamentos para o tratamento de pacientes que sofrem de depressão e transtornos de ansiedade”, explicou Ying Xu, PhD, autor co-principal e professora associada de pesquisa na Faculdade UB de Farmácia e Ciências Farmacêuticas.

O estudo, também publicado em julho na revista Neuropharmacology, foi conduzido por Xiaoxing Yin, PhD, professor da Universidade de Medicina de Xuzhou, na China.

Embora pesquisas anteriores já tivessem identificado os efeitos antidepressivos do resveratrol, a relação entre o composto com a fosfodiesterase 4 (PDE4), enzima influenciada pelo hormônio do estresse corticosterona, era desconhecida. Como explica a equipe, o excesso de corticosterona no cérebro incentiva o desenvolvimento de depressão ou outros distúrbios mentais.

Os cientistas utilizaram ratos para testar como as quantidades de PDE4 teriam relação com a depressão e a ansiedade.

De acordo com os resultados, a enzima reduz o monofosfato de adenosina cíclico (molécula mensageira que sinaliza mudanças fisiológicas ao corpo) levando a alterações físicas no cérebro.

Mas, quando o resveratrol estava presente, ele agia como neuroprotetor, inibindo a expressão de PDE4.

A pesquisa estabelece as bases para o uso do composto em novos medicamentos contra a depressão.

“Os antidepressivos atuais concentram-se na função da serotonina ou noradrenalina no cérebro, mas apenas um terço dos pacientes com depressão entra em remissão completa em resposta a esses medicamentos”, disse Xu.

A especialista ressalta que o consumo de álcool deve ser feito de forma moderada e que mais estudos são necessários para que os cientistas obtenham mais informações sobre o assunto.

Suco integral

Pra quem não pode usar o vinho tinto com altas concentrações da substância uma opção é o suco integral da uva que ainda previne doenças cardíacas.

A fina casca das uvas rosadas e pretas, matéria-prima dos sucos de uva integrais e do vinho tinto, contém uma quantidade enorme de substâncias, mas algumas delas são especiais, pois previnem uma série de doenças cardiovasculares.

De acordo com o professor Protasio Lemos da Luz, coordenador de estudos realizados no InCor sobre os efeitos do suco de uva e do vinho no organismo,  os flavonoides e o resveratrol são vasodilatadoras e reduzem o risco de sangramentos e hemorragias.

Elas têm características antioxidantes e favorecem o fluxo de sangue no corpo.

Com informações da Galileu

Espalhe notícia boa nas suas redes sociais. Siga o SNB no Facebook, TwitterInstagram e Youtube

O conteúdo do SóNotíciaBoa é protegido. Você pode reproduzi-lo, desde que insira créditos COM O LINK para o conteúdo original e não faça uso comercial de nossa produção.