Ele cresceu no Brasil, descobriu 37 planetas e foi trabalhar na Nasa

Briant Moreira de Oliveira - Fotos: reprodução / Agência CNIBriant Moreira de Oliveira - Fotos: reprodução / Agência CNI

Briant Moreira de Oliveira, um jovem de 23 anos que cresceu no Brasil, descobriu 37 planetas fora do sistema solar por conta própria e agora faz parte da equipe de análise de dados da Nasa, Agência Espacial Americana.

O estudante de Engenharia de Software usa conhecimentos em inteligência artificial e em robótica para dar suporte para diversas áreas, incluindo a estação espacial internacional.

Filho do caminhoneiro Deiver Galvão de Oliveira e da segurança Laelma Moreira Almeida, Elliot, como é conhecido por amigos e familiares, nasceu na Flórida (EUA), mas mudou para o município de Serra, no Espírito Santo, aos três anos.

Ele cursou o ensino fundamental e médio no Sesi da cidade e apesar de ser um ótimo aluno, não era dos mais quietinhos.

“Tinha que contê-lo o tempo todo. Chamava muito sua atenção, mas ele me ouvia. Me tinha como uma espécie de conselheira”, conta Daniella Nascimento Lima Jardim, 43 anos, que até hoje é professora no SESI.

E as lições valeram: “Os professores me ensinaram muitas coisas, principalmente a professora Daniella, que por quatro anos me ensinou a lutar pelos meus sonhos. Eu carrego esses aprendizados para minha vida”, relata o jovem.

EUA

Após concluir o ensino médio, Briant decidiu retornar aos Estados Unidos, em 2012.

Lá, ele começou a estudar Medicina. No entanto, quando começou a atuar como assistente em cirurgias o tempo para a vida social diminuiu e ele percebeu o quão difícil era o dia a dia de um profissional desse ramo.

Foi então, em uma conversa com o amigo engenheiro de software Chris Graviera, que Briant descobriu o mundo da programação.

Ele passou a estudar por conta própria e a pesquisar aulas na internet no pouco tempo livre que lhe restava.

Meses depois, Briant trancou o curso de Medicina e foi aceito na faculdade Make School, especializada em cursos de computação em São Francisco. “Mudou a minha vida”, afirma.

NASA

Nas aulas da faculdade, desenvolveu diversos projetos tecnológicos e, um deles, abriu as portas da Agência Espacial Americana.

O jovem descobriu, sozinho, nada mais nada menos que 37 novos planetas fora do sistema solar, por meio da análise de dados públicos do telescópio Kepler, lançado ao espaço em 2009 para localizar planetas com características habitáveis.

Rica em detalhes, a pesquisa feita pelo universitário chamou a atenção da NASA por conter informações nunca antes imaginadas e ele foi convidado para trabalhar em Houston, Texas.

“O convite foi feito por meio das redes sociais e, após algumas entrevistas, fui chamado para trabalhar na equipe de análise. Foi nessa hora que eu descobri a minha paixão pelo espaço”, afirma o jovem, que começou a trajetória na empresa pelo Johnson Space Center.

Agora, o estudante de Engenharia de Software está no último ano da faculdade e foi, recentamente, tranferido para o centro de robótica da NASA, Jet Propulsion Laboratory, em Los Angeles.

“Meu time trabalha em vários setores da NASA e até mesmo em centros diferentes. A nossa função é fazer a análise de praticamente todos os dados relacionados à instituição”, explica Briant.

Segredo

De acordo com o estudante, o segredo para a realização pessoal e profissional é correr atrás daquelas ideias que tiram o sono.

Entre seus planos para o futuro, está o trabalho com exploração espacial e, quem sabe, abrir uma empresa no ramo. Claro, sem deixar de lado os familiares e amigos do Brasil, que ele pretende visitar provavelmente em setembro.

Briant Moreira de Oliveira - Fotos: reprodução / Agência CNI

Briant Moreira de Oliveira – Fotos: reprodução / Agência CNI

Com informações da Agência CNI

Espalhe notícia boa nas suas redes sociais. Siga o SNB no Facebook, TwitterInstagram e Youtube

O conteúdo do SóNotíciaBoa é protegido. Você pode reproduzi-lo, desde que insira créditos COM O LINK para o conteúdo original e não faça uso comercial de nossa produção.