Oh My Garlic: creme de alho produzido em Brasília será exportado

Pasta de alho Oh My Garlic - Fotos: divulgaçãoPasta de alho Oh My Garlic - Fotos: divulgação

Chegou a hora dos povos de outros países conhecerem o creme de alho Oh My Garlic, produzido em Brasília e vendido nos principais supermercados da capital federal.

O Oh My Garlic é um creme de alho puro, gourmet, que pode ser usado como acompanhamento em pratos, pra passar no pão, substituir a maionese e até para temperar carnes e peixes.

Criado pelos donos do restaurante árabe Salim Sou Eu, no Setor de Clubes Sul – ele começará a ser exportada no primeiro semestre de 2020. Os primeiros países deverão ser Paraguai, Uruguai e Argentina.

A história do Oh My Garlic começou em 2009 no restaurante, onde o creme de alho é produzido e oferecido aos clientes como acompanhamento da comida árabe servida na casa.

Ele conquistou tantos paladares que a família decidiu industrializar o produto.

“O restaurante abriu em 2009. A fábrica [do creme de alho] foi montada em 2016. As vendas do Oh My Garlic começaram oficialmente em janeiro de 2017”, contou o proprietário do Salim Sou Eu, Nijed Semaan, em entrevista ao SóNotíciaBoa.

“A gente percebeu que as pessoas ficavam loucas com a pasta, pediam para colocar em tudo, virou quase um prato principal. Os clientes queriam levar para casa, perguntavam se tinha no supermercado. Percebemos que era um produto diferente mesmo e foi aí que montamos a fábrica”, diz a empresária Samar Semaan, sócia do empreendimento ao lado do marido, Nijed.

Sucesso

Deu certo. Depois do sucesso em Brasília, o creme de alho chegou a São Paulo.

“Nosso foco sempre foi Brasília. Quando fomos a feiras em São Paulo para tentar expandir para outros estados, começou uma procura de players de outros países. Estamos agora formatando a parte técnica para dar início a esse processo”, afirma.

A família faz agora um estudo de mercado para definir em quais os países o Oh My Garlic também  agradaria aos paladares.

“Tem algumas culturas que aceitam melhor o sabor do alho, outras menos. Estamos estudando cada país para ver em qual mercado vamos entrar… onde isso será viável”, concluiu Samar Semaan.

Nijed e Samar Semaan - Foto: arquivo pessoal

Nijed e Samar Semaan – Foto: arquivo pessoal

Nijed e Samar Semaan - Foto: arquivo pessoal

Nijed e Samar Semaan com o produto em exposição – Foto: arquivo pessoal

Por Rinaldo de Oliveira, da redação do SóNotíciaBoa – com informações do Metrópoles e SNB

Espalhe notícia boa nas suas redes sociais. Siga o SNB no Facebook, TwitterInstagram e Youtube

O conteúdo do SóNotíciaBoa é protegido. Você pode reproduzi-lo, desde que insira créditos COM O LINK para o conteúdo original e não faça uso comercial de nossa produção.