Trio leva Nobel de Economia por pesquisas que ajudam a reduzir pobreza

Vencedores Nobel Economia 2019 - Fotos: reprodução / InstagramVencedores Nobel Economia 2019 - Fotos: reprodução / Instagram

Os grandes vencedores do Prêmio Nobel de Economia 2019 levaram a premiação por seus trabalhos no combate à pobreza no mundo.

O anúncio foi nesta segunda, 14. Os 3 são pesquisadores do Massachusetts Institute of Technology (MIT) e da Universidade de Harvard, nos EUA.

Os vencedores foram o americano nascido na Índia Abhijit Banerjee, a franco-americana Esther Duflo e Michael Kremer, também dos Estados Unidos.

Os 3 economistas compartilharão o prêmio de 9 milhões de coroas suecas, ou US$ 1 milhão – R$ 3,85 milhões.

A cerimônia de entrega do Nobel será no dia 10 de dezembro, data de aniversário da morte de seu idealizador, o industrial e filantropo sueco Alfred Nobel (1833-1896).

A pesquisa

O trabalho deles mostra que, com gastos similares, algumas ações atingem resultados muito melhores do que outras.

Segundo a Academia, as pesquisas do trio mostram que a questão da pobreza pode ser combatida de forma mais eficiente se dividida em questões menores e mais precisas em áreas como educação e saúde, e a partir de experimento de campo.

Como resultado direto de um dos estudos, mais de 5 milhões de crianças se beneficiaram na Índia de programas de aulas de reforço na escola e significativos subsídios para cuidados de saúde preventivos foram introduzidos em diversos países.

Em outras palavras, os pesquisadores dizem que para reduzir a pobreza é preciso usar recursos para ações mais eficientes e as que não atingem resultados tão bons devem ser descontinuadas ou reduzidas.

Segundo o juri, os estudos e novas abordagens desenvolvidas pelo trio permitiram, por exemplo, ações mais eficazes para melhorar a saúde infantil e o desempenho escolar, como reformas educacionais que adaptam o ensino às necessidades dos alunos.

A premiação

O trio foi premiado “por sua abordagem experimental para aliviar a pobreza global”, afirmou o júri.

“As descobertas da pesquisa dos premiados melhoraram drasticamente nossa capacidade de combater a pobreza na prática”, acrescentou em comunicado a Academia Real de Ciências da Suécia.

O comitê do Nobel destacou que as pesquisas “têm um grande potencial para melhorar ainda mais a vida das pessoas em pior situação do mundo”.

Pobreza

“Apesar das recentes melhorias dramáticas, uma das questões mais urgentes da humanidade é a redução da pobreza global, em todas as suas formas”, afirmou o comitê do Nobel em comunicado, lembrando que mais de 700 milhões de pessoas ainda vivem com rendimentos extremamente baixos.

“Todos os anos, cerca de 5 milhões de crianças com menos de cinco anos ainda morrem de doenças que muitas vezes poderiam ter sido prevenidas ou curadas com tratamentos baratos. Metade das crianças do mundo ainda saem da escola sem habilidades básicas de alfabetização e aritmética”, destacou.

Os premiados

Abhijit Banerjee
Nasceu em 1961 em Mumbai, na Índia. Em 1988, ele conseguiu o título de Ph.D. pela Universidade de Harvard, em Cambridge, nos Estados Unidos. Ele é professor de Economia da Ford Foundation no Massachusetts Institute of Technology (MIT), nos EUA.

Esther Duflo
Nasceu em 1972 em Paris, na França. Ela obteve o título de Ph.D. em 1999 do Massachusetts Institute of Technology (MIT), nos EUA. É a segunda mulher e a pessoa mais jovem a receber o Nobel de Economia.

Michael Kremer
Nasceu nos EUA, em 1964. Obteve o título de Ph.D em 1992 na Universidade de Harvard, nos EUA. É professor de Sociedades em Desenvolvimento na Universidade de Harvard, nos EUA.

Com informações do G1

Espalhe notícia boa nas suas redes sociais. Siga o SNB no Facebook, TwitterInstagram e Youtube

O conteúdo do SóNotíciaBoa é protegido. Você pode reproduzi-lo, desde que insira créditos COM O LINK para o conteúdo original e não faça uso comercial de nossa produção.