Veja quais universidades estrangeiras aceitam notas do Enem

Foto: PixabayFoto: Pixabay

Se você sonha em estudar em outros países, saiba que várias universidades estrangeiras aceitam a nota do Enem, Exame Nacional do Ensino Médio. Só em Portugal são pelo menos 34 instituições.

Isso acontece desde 2014, quando o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), ligado ao MEC (Ministério da Educação) passou a firmar acordos de cooperação com universidades e institutos portugueses, sendo que a Universidade de Coimbra (UC) foi a primeira a aceitar o ENEM.

A pontuação mínima de candidatura para cada curso de graduação é 120 na escala portuguesa de 0-200, o que equivale a 600 na escala do exame brasileiro. Veja detalhes nesta página da Universidade de Coimbra.

Outras instituições de ensino superior em Portugal que admitem o exame são a Universidade de LisboaUniversidade do AlgarveInstituto Politécnico do Cávado e do Avre (IPCA) e o Instituto Politécnico de Leiria.

Os convênios do MEC com universidades portuguesas, porém, não envolvem transferência de recursos ou financiamento estudantil por parte do governo brasileiro, já que o país europeu cobra taxa dos graduandos para estudar.

Outros países

Outros países como Inglaterra, França, Irlanda e Canadá também consideram a nota do ENEM para o ingresso em um curso de graduação.

As universidades que aceitam o exame no Reino Unido são Oxford, Kingston e Bristol, mas elas também podem pedir a realização do vestibular local.

Nas instituições britânicas, a nota do Exame Nacional do Ensino Médio é somada a outros tópicos, como fluência em inglês, histórico escolar do candidato no ensino médio e atividades extracurriculares.

Já na França, as instituições costumam exigir que os candidatos tenham sido aprovados antes, no Brasil, em cursos semelhantes àqueles para os quais estão aplicando no país europeu.

EUA

Nos Estados Unidos, a New York University recentemente optou por aceitar a nota do ENEM para todos os cursos de graduação, em substituição às provas padronizadas tradicionais (SAT ou ACT).

Isso acontece porque a universidade recebe candidaturas de estudantes de outros países, que não foram preparados para esses testes padronizados pelas escolas onde estudaram. Por esse motivo, a NYU criou a Test Flex Policy, que permite aceitar exames de outras nacionalidades.

Os brasileiros que queiram usar o ENEM para se candidatar à instituição norte-americana podem enviar a própria nota. No entanto, os responsáveis pela escola onde cursaram o ensino médio devem confirmar o resultado para que a pontuação seja oficializada pela New York University.

Com informações do Estudar Fora, portal da Fundação Estudar.

Espalhe notícia boa nas suas redes sociais. Siga o SNB no Facebook, TwitterInstagram e Youtube

O conteúdo do SóNotíciaBoa é protegido. Você pode reproduzi-lo, desde que insira créditos COM O LINK para o conteúdo original e não faça uso comercial de nossa produção.