Eles adotaram 5 irmãos para não separar a família

Veranlida, Adalberto, Maria Vitória, 14, Pedro Henrique, 12, Miguel, 8, Gabriel, 6, e Vitor 4 - Foto: Aline Caetano/TJ-GOVeranlida, Adalberto, Maria Vitória, 14, Pedro Henrique, 12, Miguel, 8, Gabriel, 6, e Vitor 4 - Foto: Aline Caetano/TJ-GO

Um casal de Cidade Ocidental, no entorno do Distrito Federal, adotou cinco irmãos para não separar a família.

As duas pessoas de coração imenso são a gestora social Veranilda de Oliveira Guimarães e o ferramenteiro aposentado Adalberto Franco Guimarães.

Na quinta-feira, 12, eles entraram com o processo de adoção oficial na Justiça de Goiás para ficar com Maria Vitória, de 14 anos, Pedro Henrique, 12, Miguel, 8, Gabriel, 6, e Vitor 4.

Os irmão moraram durante um ano no Orfanato Rebecca Jenkins.

Veranilda já trabalhava no abrigo como diretora e presenciou a situação dos cinco irmãos.

Eles foram afastados da mãe biológica pelo Conselho Tutelar da cidade, por causa de situações de maus-tratos e abandono. Houve uma tentativa de que eles morassem com os tios, mas não foram aceitos.

“Tinham essas cinco crianças que a família pegava e devolvia. Sempre que eu os via eles corriam para me abraçar. Maria Vitória toda vez pedia pra não deixar separar dos irmãos. Fui sendo ministrada com essas palavras”, disse ao G1.

A decisão

Em outubro de 2017, a gestora conta que foi chamada pelo juiz para participar da audiência que separaria os irmãos para que, então, fossem encaminhados para diferentes famílias.

“Conversei com meu esposo e ele falou que não achava justo irmãos se separarem. Nós [também] somos pastores, pregamos sobre amor, acreditamos na família e vimos uma oportunidade de praticar, de decidir”.

“Naquele momento, a gente não levou em conta nem os nossos cabelos brancos. Foi aí que a gente decidiu pedir a guarda dessas crianças para o juiz”, recordou.

Depois de tomada a decisão, a alegria foi geral.

Vida nova

O casal teve o apoio dos filhos biológicos, hoje com 29 e 28 anos, e a gratidão sincera dos mais novos cinco membros da família.

Veranilda conta que todos estão loucos para colocar logo o sobrenome “Guimarães” e enchem a boca para chamá-la de “mãe” e Adalberto, de “pai”.

A família deixou de ter dois carros pequenos para ter um que cabe até oito pessoas.

Eles também saíram da casa onde moravam para outra que comportasse todos com mais conforto. A mãezona conta que vê como todas essas mudanças dão aos mais novos a segurança de que eles têm um lar.

“Eles enxergam isso, que estamos fazendo alguma coisa para manter eles, e isso dá certeza que não serão devolvidos, que dessa vez é definitivo. Eles expressam muita gratidão. A Maria Vitória mesmo fala que não tinha ninguém para corrigir, para ensinar, para dar carinho. Eles demonstram muita felicidade”, afirmou.

“Não vamos mudar o mundo e não estamos resolvendo o problema de todas as crianças, mas fazemos a diferença para esses cinco. Isso nos traz alegria de poder ser esse canal, de poder fazer isso”, concluiu.

Família Guimarães - Foto: arquivo pessoal

Família Guimarães – Foto: arquivo pessoal

Veja aqui a história de outro casal que adotou 5 irmãos para não separar a família.

Com informações do G1

O conteúdo do SóNotíciaBoa é protegido. Você pode reproduzi-lo, desde que insira créditos COM O LINK para o conteúdo original e não faça uso comercial de nossa produção.