Jimmy Carter anuncia: está livre do câncer

687
Foto: Reuters|Foto: Reuters|Carter foi o 39º presidente norte-americano
Foto: Reuters|Foto: Reuters|Carter foi o 39º presidente norte-americano

Depois de uma longa e dura luta contra, o ex-presidente americano Jimmy Carter anunciou que seu câncer no cérebro se foi.

“Meu mais recente exame de ressonância magnética do cérebro não revelou quaisquer sinais de manchas de câncer originais, nem quaisquer outras novas,”disse Carter em um comunicado.

O ex-presidente, que tem 91 anos, anunciou a boa notícia neste fim de semana, durante uma aula de escola dominical em Plains, Georgia.

Ele foi presidente dos EUA entre 1977-1981 e ganhou um Prêmio Nobel da Paz em 2000.

Carter havia revelado a doença, em agosto, quando os médicos começaram a tratar lesões de melanoma em seu cérebro.

No mês passado, os médicos de Carter na Winship Cancer Institute da Universidade Emory, em Atlanta, informaram que Carter estava respondendo bem ao tratamento e não havia sinais de crescimento do câncer.

Jill Stuckey, integrante da congregação de Maranatha Baptist Church, em Plains, disse ao jornal Atlanta Journal-Constitution que o ex-presidente estava falando para 350 alunos quando fez o anúncio.

“Ele informou que havia realizado uma ressonância nesta semana e que o câncer havia desaparecido”, disse.

“Todo mundo aplaudiu.”

Carter tem uma explicação: “O destino está nas mãos de Deus, a quem eu sirvo.”

Carter foi o 39º presidente norte-americano
Carter foi o 39º presidente norte-americano

História

Em agosto, Carter havia informado que o câncer no fígado tinha se espalhado para quatro pontos do cérebro.

A lesão no fígado foi removida em 12 de agosto.

Depois de deixar a Casa Branca, ele fundou o Centro Carter, na luta por direitos humanos e mediação política.

Ele se mantém ativo no centro desde então.

Carter ganhou o prêmio Nobel da Paz por seu compromisso com a busca de soluções pacíficas para os conflitos internacionais e seu trabalho com direitos humanos e iniciativas de democracia.

Com informações da BBC Canadá