Descoberto poema inédito de Fernando Pessoa

1244
Foto: divulgação
Foto: divulgação

Encontrado um poema inédito de Fernando Pessoa!

Ele foi descoberto em um caderno de autógrafos que foi trocando de mãos.

A relevação foi feita por um biógrafo na véspera do dia de aniversário do poeta português, que completaria neste 13 de Junho 128 anos.

Em 2005 achou-se que era um rascunho de Poemas de Fernando Pessoa, 1915-1920, numa edição de João Dionísio para a Imprensa Nacional – Casa da Moeda, em Portugal.

É que o tal poema sem título, começa pelo verso Cada palavra dita é a voz de um morto, parecido com outro publicado antes, mas que Pessoa manteve só os dois primeiros versos.

Os demais foram reescritos – em alguns casos, alterando radicalmente o próprio sentido original do texto, ou foram excluídos, com numerosos acréscimos.

Leia:

Cada palavra dita é a voz de um morto.

Aniquilou-se quem se não velou,

Quem na voz, não em si, viveu absorto.

Se ser Homem é pouco, e grande só

Em dar voz ao valor das nossas penas

E ao que de sonho e nosso fica em nós

Do universo que por nós roçou;

Se é maior ser um Deus, que diz apenas

Com a vida o que o Homem com a voz:

Maior ainda é ser como o Destino

Que tem o silêncio por seu hino

Com informações de OGlobo