Mãe que perdeu filho fez festa para crianças de creche

1083
Vitor - Foto: reprodução / Dia V|
Vitor - Foto: reprodução / Dia V|

Uma mãe muito forte conseguiu transformar a dor do luto em uma grande corrente de solidariedade.

A defensora pública Isabella Simões, decidiu promover uma festa “de aniversário” para crianças carentes de Brasília, na mesma data em que o filhinho, Victor (fotos acima), completaria 1 ano de idade.

A festa foi nesta sexta, dia 12 e o evento recebeu o nome de “dia V”, em homenagem à criança.

A instituição escolhida para a estreia do projeto foi a creche São Francisco, na Estrutural – a 25 km de Brasília – uma das áreas mais carentes do Distrito Federal.

A entidade atende 35 crianças com idades entre 1 e 5 anos, mas sofre com falta de recursos e estrutura.

Corrente do bem

Ao perceber a situação crítica do espaço, Isabella usou as redes sociais para pedir ajuda e ampliar a festa.

“Quando conheci aquelas crianças da creche São Francisco, o projeto ficou mais ousado, e agora preciso da ajuda de vocês. Precisamos estruturar a creche com alimentação adequada, livros, brinquedos, material de limpeza e higiene pessoal, material escolar”, dizia a publicação da mãe.

As doações são recolhidas pela internet, em um site criado pela defensora pública e que permanece ativo até o fim da semana.

Isabella já arrecadou mais R$ 50 mil, brinquedos, roupas, máquina de lavar e fogão para a creche, entre outros objetos.

Os objetos arrecadados vão para a creche e para as famílias das crianças, formadas por catadores, garis e moradores da Estrutural.

A caridade foi uma forma de amenizar a dor e a saudade que sente todos os dias.

“Eu falo que a saudade vai ficar para o resto da vida. Sinto a falta do meu filho todos os dias. Eu às vezes até escuto o choro dele em casa, queria muito tê-lo nos meus braços. Sofro ainda, choro, mas acho o conforto para minha dor na caridade”, disse.

Foto: reprodução / Dia V
Foto: reprodução / Dia V

História

Em março, Victor contraiu meningite bacteriana e não resistiu à doença, após 12 dias internado.

“Ele era super feliz, ativo, uma criança saudável que nunca tinha tido uma febre. Vi como maior desafio, a maior dor da minha vida e nos dois primeiros dias eu estava revoltada e indignada com tudo o que estava acontecendo”, contou a mãe ao G1.

“Eu falo que é dia V porque é o dia da vitória, dos voluntários e o dia do Victor.

E ele foi um vitorioso em mover o Brasil em torno de um bem”, diz a mãe.

A coordenadora da creche, Antônia Félix de Oliveira, afirma que as doações são fundamentais para manter o espaço, que não recebe verba pública.

“O sonho é construir o espaço, porque aqui não temos espaço de sol, lazer, é muito pequeno para atender a demanda”, diz.

Com informações do G1