Tartarugas nadam na Baía de Guanabara, antes poluída. Vídeo

Foto: reprodução YouTube
Foto: reprodução YouTube

Tartarugas foram flagradas nadando em águas limpas na Baía da Guanabara, no Rio de Janeiro, após o isolamento social.

Num vídeo que circula nas redes sociais, é possível ver a presença delas se alimentando na costa oceânica do Rio.

Durante a filmagem, feita perto do Aeroporto Santos Dumond no final da semana passada, é possível ouvir a pessoa que fez o registro dizendo: “Estamos reclamando do isolamento, mas a natureza está gostando demais. Está mais do que claro que é o homem que destrói a natureza.”

Normalmente, a região é coberta de lixo, com garrafas e sacos plástico tomando conta da água.

A redução de embarcações por causa do isolamento também ajudou a limpar as águas, antes poluídas.

Com isso, a baía dá sinais de menos poluição e mais animais, como tartarugas e peixes, que agora são visíveis.

Numa outra filmagem, feita na Praia de Icaraí, em Niterói, as águas também estão límpidas.

Isso se deu por conta da maré de sizígia, que produz ondulações oceânicas mais altas relativas ao nível médio do mar (NMM).

A maré varia de acordo com o ciclo das luas

Mãe natureza

Somente no interior da Baía de Guanabara trafegam, por ano, mais de 10 mil navios e rebocadores da indústria petroleira.

“A mãe natureza pode ser restaurada: basta reduzirmos o ritmo acelerado de nossas cidades e superar a ganância do ‘progresso destrutivo’”, diz o ambientalista Sergio Ricardo, do movimento Baía Viva.

Índia

Desde o dia 21 de março, milhares de tartarugas também foram vistas chegando nas praias de Rushikulya Rookery e Gahirmatha, localizadas no estado de Odisha.

Todo ano, as tartarugas atravessam o oceano e deixam seus ovos em Odisha, mas, este ano, o número aumentou consideravelmente e um evento raro aconteceu: elas apareceram durante o dia!

“A última vez em que as tartarugas foram vistas a luz do dia foi em 2013.

“ Normalmente, elas costumam ir para a praia durante a noite. O mês de março foi especial para nós”, disse Amlan Nayak, guarda florestal do distrito.

O ambientalista de Bhubaneswar e presidente da Orissa Environment Society, S.N. Patro, falou que não há estudo que comprove que a quarentena na Índia tenha ligação com esse fenômeno, mas considera que foi uma coincidência e tanto!

Além disso, ele salienta que, sem os humanos, os animais se sentem mais protegidos, o que pode “reduzir as baixas das tartarugas marinhas e/ou os danos que seus ovos sofrem em dias normais”.

Veja:

As imagens feitas em Icaraí, também no litoral do RJ:

Imagem das tartarugas, de dia, na Índia, em post no twitter:

 

 

Com informações da Veja e Diário do Rio

Espalhe notícia boa nas suas redes sociais. Siga o SNB no: