Terapia comunitária de médico nordestino romeiro ajuda 5 milhões

Projeto 4 Varas - Fotos: divulgação
Projeto 4 Varas - Fotos: divulgação

Uma terapia comunitária que cuida do corpo e da alma já ajudou mais de 5 milhões de pessoas no mundo – as fotos acima foram feitas antes da pandemia.

Entender como esse projeto chegou tão longe só é possível vendo de perto a trajetória do médico nordestino que nasceu e cresceu no município de Canindé, Ceará, cercado de romeiros, embalado por histórias sobre os milagres de São Francisco, protegido pelas rezas das curandeiras.

Fascinado por aqueles que dedicaram suas vidas a cuidar dos outros, Adalberto Barreto, hoje é PhD Professor da Universidade da UFC. Doutor em Psiquiatria e em Antropologia, ele sabia desde cedo que sua vocação estava diretamente ligada a ajudar no processo de cura das pessoas.

Ainda jovem, escolheu como caminho o seminário, já que seguir os passos de São Francisco era sua grande meta. No meio do percurso, entendeu que cuidar só da alma e da fé não era exatamente o seu chamado. E aí encontrou na medicina um jeito de cuidar também dos corpos.

Ciência e fé

Durante todo esse processo de aprendizado dentro e fora do Brasil, Adalberto se deparou com os extremos de duas vocações que se diziam “inimigas”, a ciência e a fé. A medicina e as crendices do povo.

O mundo não estava preparado para um médico nordestino, romeiro e benzedor, mas precisava começar a estar. Foi aí que, em 1987, nasceu o projeto 4 Varas, que abriu espaço para um mundo em que o cuidado com o corpo não excluía o cuidado com a alma e vice-versa.

O nome veio de uma história popular da região que usa da junção de 4 varas para exemplificar a força que vem da união, o que é perfeito para definir o que o projeto significa.

“É claro que a comunidade tem os seus problemas, mas é nela que também vamos encontrar as soluções! Não dá para ignorar o que durante centenas de anos curou as pessoas, a fé e o conhecimento das curandeiras não podem ser excluídos, do mesmo modo como as evoluções da medicina não pode ser impedida de chegar até eles!”, acredita Adalberto.

A terapia

A terapia comunitária usa uma metodologia de intervenção em comunidades. Promove encontros nos quais as pessoas trocam informações sobre elas e as comunidades onde vivem.

Nos encontros elas são acolhidas, falam da vida, das dores, dos problemas e das potencialidades delas e da comunidade.

O projeto traz programas que trabalham questões como:

  • a importância da autoestima dentro dos processos de cura;
  • a saúde comunitária – postos de saúdes próximos de centros de tratamento que acontecem através das rezas, banhos e chás; e
  • o poder das terapias comunitárias baseadas na troca de experiências – nunca com conselhos ou imposições – sempre compartilhando e somando.

Tudo isso, somado à importância de olhar para os seres humanos como indivíduos completos – corpo e crença – e inseridos dentro de uma comunidade com sua história e cultura – vem fazendo com que a transformação aconteça de forma inclusiva para mais de 5 milhões de pessoas no mundo.

Mais de 37 mil terapeutas já foram treinados e agora são capazes de levar esse jeito diferente de cuidar de quem precisa.

O projeto 4 Varas foi descoberto pelos Caçadores de Bons Exemplos, parceiros do SóNotíciaBoa.

“Nós, enquanto casal que vive em busca de bons exemplos, nos orgulhamos muito de saber que uma iniciativa no interior do Ceará conquistou um espaço de protagonismo e ainda abriu espaço para uma discussão mais do que necessária no mundo. O projeto 4 Varas é uma das grandes provas de que quando o primeiro passo é dado, o impossível acontece!”, afirmam Iara e Eduardo do Caçadores de Bons Exemplos.

Projeto 4 Varas - Fotos: divulgação
Projeto 4 Varas – Fotos: divulgação

Por Rinaldo de Oliveira, da redação do SóNotíciaBoa – com Caçadores de Bons Exemplos