Cantora Dolly Parton patrocinou vacina promissora contra Covid-19

Foto: reprodução Yorkshrie Evening Post
Foto: reprodução Yorkshrie Evening Post

A cantora e ícone da música country americana, Dolly Parton, doou um milhão de dólares, mais de 5 milhões de reais para pesquisas pela criação de uma das vacinas contra o coronavírus.

A doação foi em abril, quando as pesquisas estavam no início e segundo o jornal The Guardian, o dinheiro contribuiu para o desenvolvimento da vacina da Moderna, que hoje apresenta taxa de eficácia de 94,5% contra o vírus da Covid-19.

Na época, a cantora tomou a decisão de investir na vacina depois que o amigo Naji Aubmrad, do Instituto de Infecção, Imunologia e Inflamação da Universide de Vanderblit, no Tenesse, lhe explicou os avanços do imunizante.

Parton e Abumrad são amigos desde 2014, quando a cantora foi tratada no centro de Vanderblit, após um acidente.

Plasma

A doação de Parton, que hoje tem 74 anos, também serviu pra estudos sobre a utilização do plasma, em Vanderblit.

Lá são tratados os doentes que utilizam anticorpos de outras pessoas, contra o vírus.

Segundo a Moderna, poderão ser produzidas milhões de doses da vacina até ao final de 2021.

A informação foi dada após anúncio de eficácia de outra vacina, a da BionNtech-Pfizer.

A vacina da Pfizer precisa ser mantida numa temperatura de 70 graus Celsius negativos, diferentemente da vacina da Moderna.

Com informações do Publico Portugal