Escócia é o 1º país do mundo a disponibilizar absorventes menstruais

Protesto feminista na Escócia - Foto: Jeff J Mitchell / Getty Images
Protesto feminista na Escócia - Foto: Jeff J Mitchell / Getty Images

A Escócia se tornou o primeiro país do mundo a disponibilizar produtos menstruais, incluindo absorventes internos e externos, para todas as mulheres que precisarem.

O Parlamento escocês aprovou por unanimidade o projeto de lei Produtos do Período [menstrual] nesta terça-feira, 24.

Isso significa que eles ficarão disponíveis em edifícios públicos, incluindo escolas e universidades de toda a Escócia.

De acordo com as novas regras, caberá às autoridades locais e aos fornecedores de educação garantir que os produtos estejam disponíveis gratuitamente.

“A campanha foi apoiada por uma ampla coalizão, incluindo sindicatos, organizações femininas e instituições de caridade”, disse Monica Lennon, a legisladora que apresentou o projeto no ano passado.

“A Escócia não será o último país a fazer da pobreza um período histórico”, afirmou.

Custos

Após a aprovação, Monica Lennon disse que a decisão foi “um sinal para o mundo de que o acesso universal gratuito aos produtos do período [menstrual] pode ser alcançado.”

O projeto deverá custar por ano quase £ 8,7 milhões – mais de R$ 55 milhões – até 2022, dependendo do número de mulheres que vão utilizar os produtos gratuitos.

Lennon espera 20% de adesão, já que as estatísticas oficiais de desigualdade mostram que quase 20% das mulheres na Escócia vivem em relativa pobreza.

“Inovadora”

A nova lei foi elogiada por vários grupos de direitos das mulheres e pela igualdade, além de políticos de todos os partidos representados no Parlamento escocês.

“Orgulho de votar por esta legislação inovadora, tornando a Escócia o primeiro país do mundo a fornecer produtos gratuitos para todas as que precisam deles. Uma política importante para mulheres e meninas”, disse a primeira-ministra da Escócia, Nicola Sturgeon, em sua página oficial no Twitter após o voto.

Realidade

Uma em cada 10 meninas no Reino Unido não conseguiu pagar pelos produtos do período menstrual, de acordo com uma pesquisa de 2017 da Plan International UK.

A pesquisa também descobriu que quase metade de todas as meninas com idade entre 14 e 21 anos sente vergonha da menstruação, enquanto cerca da metade perdeu um dia inteiro de aula por causa disso.

Combate à pobreza

A mudança da Escócia segue uma série de tentativas recentes de combater a pobreza no país durante o período.

Em 2018, o governo anunciou que alunos de escolas, faculdades e universidades de todos os países teriam acesso a produtos sanitários gratuitamente, por meio de um investimento de £ 5,2 milhões.

Em 2019, destinou mais £ 4 milhões para disponibilizar gratuitamente produtos do período menstrual em bibliotecas e centros recreativos.

A Inglaterra também lançou no ano passado uma iniciativa para fornecer produtos sanitários gratuitos nas escolas, e a Nova Zelândia fez o mesmo no início deste ano.

Com informações da CNN