Racismo no futebol: jogadores deixam campo e partida do PSG é adiada

1508
jogador senegalês discute com juiz por racismo em campo - Foto: Charles Platiau/Reuters
jogador senegalês discute com juiz por racismo em campo - Foto: Charles Platiau/Reuters

Vitória do futebol contra o racismo. Pela primeira vez na história da Champions, uma partida foi suspensa e todos os jogadores saíram de campo após um árbitro romeno se referir a um dos jogadores, que levou cartão amarelo, como “esse cara preto”.

As diretorias dos dois clubes – PSG e o Istanbul Basaksehir, da Turquia – apoiaram a decisão e a Uefa, encurralada, teve que remarcar o jogo para esta quarta, 9, em Paris, com outro quarteto de juízes.

O caso foi nesta terça, 8. O árbitro romeno Sebastian Coltescu se voltou para o auxiliar técnico da equipe turca, o camaronês Pierre Webo e disse: “esse cara preto” tem de sair do banco.

O jogador senegalês Demba Ba, do Istanbul Basaksehir, estava no banco de reservas do Basaksehir e ao ouvir a expressão racista encarou Coltescu e deu uma lição no árbitro:

“Você nunca diz ‘esse cara branco’, você diz ‘esse cara’. Então por que, quando você cita um homem preto, você diz ‘esse cara preto’?”, perguntou.

Neymar e Mbappé

Na sequência todos os jogadores do Paris Saint-Germain e Istanbul Basaksehir se revoltaram e se retiram de campo, entre eles, Neymar e Mbappé.

Nas redes sociais, o Istanbul informou que a equipe não retornaria para o jogo depois do caso de racismo. Minutos depois, Mbappé publicou em sua conta pessoal “Diga não ao racismo! M. Webo, estamos com você”.

Neymar fez o mesmo com um post no Instagram dizendo “Black Lives Matter” – “Vidas Pretas Importam”.

Coltescu deverá ser julgado pela atitude racista. A revolta foi exemplar e marcou a história da Champions League. O mundo não tolera mais o racismo.

Veja como foi:

O post de Neymar:

 

Com informações do R7 e JP