Primeiro-ministro de Israel será 1º a tomar vacina: incentivar a população

O primeiro-ministro ao lado do lote de vacinas Foto: Flash90
O primeiro-ministro ao lado do lote de vacinas Foto: Flash90

Israel começa a vacinação contra a Covid-19 no próximo dia 27 de dezembro e o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, informou nesta quarta, 9, que será um dos primeiros a receber a imunização para dar exemplo à população.

“Espero que os cidadãos de Israel se vacinem e, para garantir isso, gostaria de servir como um exemplo pessoal. Estamos vendo a luz no fim do túnel”, disse o premiê na pista do aeroporto Ben Gurion, onde um avião pousou com milhares de doses da vacina.

Assim, Netanyahu pode ser o primeiro líder de um país a receber uma injeção contra o coronavírus, e sua inoculação viria em um momento em que as autoridades em todo o mundo estão tentando aumentar a confiança do público em várias dessas vacinas, desenvolvidas com base repentina.

“Eu acredito nessa vacina. Espero que receba a devida aprovação nos próximos dias”, disse Netanyahu.

Pfizer

O país começará a administrar as vacinas após ter recebido um primeiro lote do imunizante produzido pela Pfizer. (foto acima)

“As primeiras vacinações serão em 27 de dezembro”, disse Benjamin Netanyahu.

Ele também falou que os serviços de saúde pública poderiam administrar 60 mil doses diárias – o que chamou de “grande número”, considerando os 9 milhões de habitantes do país.

Israel comprou em novembro oito milhões de doses na Pfizer com entrega prevista a partir de janeiro de 2021, mas as primeiras doses da vacina chegaram antes do previsto, nas vésperas do Hanukkah, a festa judaica das Luzes celebrada a partir de quinta-feira.

O país, que também está trabalhando em sua própria vacina, encomendou ainda seis milhões de doses aos laboratórios Moderna.

No total, esses 14 milhões de doses podem proteger cerca de sete dos nove milhões de israelenses, que receberão duas doses por pessoa.

Com informações da Exame