Cão sem dono, atropelado, escapa da eutanásia volta a andar: vídeo

2792
Hulk no dia do atropelamento e agora - Fotos: arquivo pessoal
Hulk no dia do atropelamento e agora - Fotos: arquivo pessoal

É difícil saber quem é mais forte nessa história: o Hulk – um cão sem dono que foi atropelado, fraturou a coluna, teve indicação de eutanásia e voltou a andar três meses depois – ou a estudante Isabela – que resgatou o bichinho no meio de uma avenida, levou para veterinários, gastou quase R$ 30 mil e não sossegou até que ele melhorasse.

A história dos dois começou em agosto do ano passado, quando Isabela Teixeira, de 19 anos, dirigia pela Av Fernão Dias, em Contagem, em Minas Gerais – cidade vizinha de Belo Horizonte onde ela mora – e viu o Hulk ser atropelado por uma moto.

“Eu estava dirigindo do outro lado da avenida e vi tudo acontecendo. Parei o carro de qualquer jeito na avenida. Foi no domingo à noite. Fiquei desesperada. Uns meninos que estavam andando de bicicleta me ajudaram a colocar ele no carro. Estava tendo espasmos de dor, mas em hora alguma ele demonstrou agressividade. Nunca tentou morder ninguém”, disse a estudante em entrevista ao SóNotíciaBoa.

O motociclista não prestou socorro. “Ele ficou no local vendo tudo, mas disse que ‘não ia ajudar por ser um cão de rua’”, lembrou Isabela.

Eutanásia

Isabela correu para socorrer o bichinho. Na primeira clínica, os veterinários diagnosticaram fratura na coluna. Ela lembra que um deles chegou a sugerir a eutanásia.

“Dois veterinários disseram que ele não voltaria a andar e um deles disse que era melhor eu partir para a eutanásia do Hulk, porque se ele sobreviesse eu teria muito trabalho para cuidar dele! […] Deixei o Hulk por apenas 2 dias [nessa] clínica”, contou.

Esperança

Isabela não deu ouvidos. Movida por um instinto de amor e esperança, ela procurou outras opiniões de veterinários.

“Ele já passou por 3 clínicas. Quando o transferi para a última, que fez o maior atendimento dele, nos deram esperanças de que voltaria a andar”.

Era o que a estudante precisava para começar uma grande mobilização para fazer o Hulk melhorar e andar novamente. Mas isso implicava em custos altos, que ela não tinha como bancar.

“Até agora já gastei R$ 27.463,76. Todo esse valor já paguei com as doações que arrecado para ele! Temos a vaquinha, contas bancárias e a opção de ajudar nos enviando os produtos que ele mais usa. Todos os comprovantes de estão nos destaques da página “gastos 1 “ e “gastos 2”.

Além de uma vaquinha para o Hulk, Isabela criou um site para fazer a prestação de contas de forma transparente.

“Ele tem um site também. Por lá as pessoas têm acesso à tabela de gastos atualizada dele, formas de ajudar, link da vaquinha e a história”, explicou.

A virada

O cãozinho valente – que teria 8 anos de idade, ou seja, um idoso na estimativa dos veterinários – voltou a andar bem em dezembro, depois da primeira cirurgia, fisioterapia e muito carinho.

“Ele começou a dar os primeiros passos 2 meses depois da cirurgia e passos mais firmes depois de 3 meses, uma recuperação muito rápida!”, comemorou Isabela.

“Atualmente o Hospital Veterinário Arnaldo faz o atendimento emergencial dele. À domicílio temos a médica veterinária clínica Monica Ribeiro, a fisioterapeuta Camila Iani e o cirurgião ortopedista Christovão Junger”, agradece Isabela.

Críticas

Apesar de ter se dedicado tanto ao Hulk, a ponto de perder o Enem do ano passado, Isabela conta que recebe algumas críticas nas redes sociais.

“É apenas um cão, por que você faz tudo isso por ele? ”[perguntam]. Na página do Hulk mesmo já sofri com comentários maldosos. O pior que me disseram foi que eu devia cuidar de gente, pois cuidar do Hulk, ou de qualquer outro animal, não me levaria a lugar algum”.

De novo ela não deu ouvidos e justifica:

“Se até nós humanos, que conseguimos nos defender e somos dados como racionais, sofremos com os próprios humanos. Imagina os animais? Eles não são respeitados por muitos e ainda não conseguem se expressar, se defender…”, alertou.

Nova cirurgia

Agora Hulk, apesar estar bem melhor, terá que fazer outra cirurgia.

“Logo passará por mais uma cirurgia na coluna! [Ele] está com uma ferida aberta na coluna desde outubro de 2020. Teremos que remover o cimento de fosfato ósseo que está na coluna dele para ajudar na cicatrização correta”.

Por isso, a vaquinha pra ele continua. “Continuo arrecadando. Ele toma 7 medicações controladas, faz tratamentos especiais (fisioterapia, acupuntura, ozonioterapia”, afirmou.

Motivação

Hoje, Isabela tem um misto de preocupação, esperança e alegria.

“Apesar de ser forte, a saúde dele é muito delicada”, diz sobre o cachorro, que virou símbolo de motivação na casa dela.

“As minhas outras (três) cachorras são uma grande motivação para ele também. Ele já está brincando com elas”, comemorou a estudante, que segue firme no propósito de dar amor e qualidade de vida ao Hulk.

Para ajudar no tratamento dele clique aqui.

Isabela com Hulk - Foto: arquivo pessoal
Isabela com Hulk (à dir) e irmãos- Foto: arquivo pessoal

Veja a evolução do Hulk:

Por Rinaldo de Oliveira, da redação do SóNotíciaBoa