Heineken doa R$ 9 milhões do Rock in Rio para 4 novas usinas de oxigênio

Além das 4 usinas, a doação também será destinada para compra de equipamentos e EPIs essenciais no combate ao coronavírus - Foto: reprodução
Além das 4 usinas, a doação também será destinada para compra de equipamentos e EPIs essenciais no combate ao coronavírus - Foto: reprodução

A Heineken anunciou uma parceria com o Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDES) para que 4 novas usinas de oxigênio sejam instaladas no Brasil.

Para que a construção fosse possível, a marca de cerveja doou R$ 9 milhões, destinados ao patrocínio do Rock in Rio 2021, que foi suspenso devido a pandemia.

A doação da Heineken ainda engloba a aquisição de cilindros de oxigênio, aparelhos de suporte às vias aéreas (CPAPs) e equipamentos de proteção individual (EPIs) para pelo menos 40 hospitais filantrópicos em situação crítica.

Evento suspenso

O Rock in Rio é um dos festivais de músicas de maior importância do mundo. O evento aconteceria em setembro, mas foi adiado para 2022, devido às medidas de restrições no Rio de Janeiro, por causa da pandemia.

“É um momento muito difícil para todos e que exige um esforço conjunto, público e privado, para que o país enfrente a situação e minimize impactos. Por isso, sendo uma marca tão valorizada pelos brasileiros, não poderíamos deixar de direcionar nossos esforços para o que é prioridade: a vida das pessoas”, disse Maurício Giamellaro, CEO do Grupo Heineken no Brasil, em nota.

De acordo com a Heineken, a parceria com o BNDES “faz parte do projeto da instituição denominado ‘Salvando Vidas'”, que é “uma plataforma de matchfunding em que valores doados pela sociedade civil ou instituições privadas são dobrados”.

Entre os parceiros executores do projeto estão Sitawi, Bionexo, CMB e Ernest Young.

Em março, outra fabricante, a Ambev também realizou doação para instalação de usinas de oxigênio. Confira esta matéria aqui no Só Notícia Boa!

Por Monique de Carvalho, da redação do Só Notícia Boa. – Com informações de Infomoney.