Veneno de aranha pode prevenir ataques cardíacos, diz pesquisa

850
Veneno de uma das aranhas mais perigosas do mundo pode salvar vidas, diz pesquisa - Foto: Victor Chang Institute
Veneno de uma das aranhas mais perigosas do mundo pode salvar vidas, diz pesquisa - Foto: Victor Chang Institute

Pesquisadores australianos descobriram que o veneno de uma das aranhas mais perigosas do mundo pode prevenir ataques cardíacos e salvar vidas.

Eles contam que uma molécula do veneno, utilizada corretamente, pode prevenir os danos causados durante um ataque cardíaco, além de ajudar na adaptação de corações transplantados

O estudo foi realizado pelo Instituto de Pesquisa Cardíaca Victor Chang, em colaboração com a Universidade de Queensland. A pesquisa está publicada na revista científica Circulation.

A pesquisa

A aranha teia-de-funil, encontrada na praia Phrase Fraser, na Austrália, é considerada uma das mais perigosas do planeta.

Os pesquisadores então isolaram uma molécula do veneno do animal e desenvolveram uma proteína chamada Hi1a. Os primeiros testes foram realizados em um paciente que apresentava danos cardíacos após infarto, que respondeu muito bem ao tratamento.

“Isso não só ajudará as centenas de milhares de pessoas que têm um ataque cardíaco todos os anos em todo o mundo, mas também poderá aumentar o número e a qualidade dos corações de doadores, o que dará esperança aos que aguardam na lista de transplantes”, ressaltou o professor Peter Macdonald, do Instituto Victor Chang, um dos autores do estudo.

Testes clínicos

Com as respostas positivas do primeiro paciente, os cientistas agora se preparam para a realização dos primeiros testes clínicos, que devem acontecer também na Austrália, nos próximos dois anos.

“Em décadas de pesquisa, ninguém foi capaz de desenvolver uma droga que interrompa esse sinal de morte nas células do coração, uma das razões pelas quais as doenças cardíacas continuam sendo a principal causa de morte no mundo”, disse Nathan Palpant, um dos co-autores do estudo.

Com informações de Green Me