Eita Mundo Bom: sucesso foi promover esperança na crise

846
Foto: divulgação / Rede Globo
Foto: divulgação / Rede Globo

O sucesso da novela Eita Mundo Bom, da Rede Globo, fez muita gente se perguntar o motivo do alto ibope.

Walcyr Carrasco, autor do folhetim, foi questionado inúmeras vezes e buscou explicação nos valores que a história promoveu: o otimismo, a esperança, a bondade… em tempos de crise e de desencanto no Brasil.

Veja o que disse Maurício Stycer em seu blog:

A enorme aceitação da novela passa por aí mesmo: pela mensagem positiva e pela simplicidade espantosa que exibiu do início ao fim. Mas muitos outros folhetins foram por este caminho sem o mesmo êxito.

Ambientar a trama na década de 40 do século 20 foi só um pretexto para Carrasco aprofundar o caráter ingênuo de muitos personagens. O momento crucial que o Brasil e o mundo passavam na época foi completamente ignorado.

A única referência temporal da novela foram os títulos dos filmes de Hollywood, que apareciam nos letreiros do cinema e a procura por petróleo no interior de São Paulo.

Sem preocupação com o realismo, o autor desenvolveu tipos transparentes e cristalinos, como só existem nas histórias infantis. O excesso de bondade e simplicidade de boa parte dos personagens tornou a novela atraente para quem buscava receber mensagens edificantes e reconfortantes da TV.

O caipira de coração puro, que veio para a cidade grande em busca da mãe. A milionária bondosa, que passou a vida procurando o filho tirado dela ainda bebê. A jovem simples e boa, que foi expulsa de casa pelo pai por estar grávida. O pai que cometeu um crime para financiar a cirurgia que permitiria ao seu filho andar. O noivo dedicado à noiva gravemente doente. A menina pura do interior que passava os dias fantasiando sobre o “cegonho” masculino.

Esses e outros tipos elementares fizeram “Êta Mundo Bom” andar alegremente por 191 capítulos. Com habilidade, Carrasco conseguiu desenvolver estas e outras tramas sem muita enrolação, sempre propondo desdobramentos e dando agilidade à novela.

Abrindo mão de qualquer ousadia ou polêmica, a novela das 18h30 encontrou um grande público, num sinal de que há uma parcela considerável da audiência ansiosa exatamente por isso: entretenimento sem esforço.

E a garantia de que o bem vencerá o mal, o amor superará as barreiras, o esforço será recompensado e há motivos para ser otimista com o mundo. Escapismo, em resumo.

Com informações do BlogDoMauricioStycer