Órfão que anima crianças realiza sonho e se forma após 20 anos

977
Psiu
Psiu

A vida de perdas e traumas deu vários motivos para ele desistir do sonho. Ainda menino, foi abandonado pela mãe, viveu em orfanato, perdeu o pai, o irmão, a irmã e depois de adulto, um acidente de carro levou a filha que ele tanto amava.

Mas como alguém nessa situação arruma forças para resistir e continuar vivendo? Ele criou uma nova identidade. Com a cara pintada de palhaço, decidiu animar crianças e com as gargalhadas delas encontrar o próprio sorriso.

E nesta quinta-feira, 14, vestindo parte da roupa de palhaço, ele realizou o sonho guardado há 20 anos: receber um diploma do colégio.

Sim, orgulhoso de ser quem é, Genilson – que ganha a vida fazendo shows e como motorista de uber – vestiu a beca e colocou a peruca do palhaço Psiu para receber a colação de grau do Ensino Médio.

“Depois que eu saí do orfanato, voltar a estudar e terminar meus estudos pra mim é uma grande vitória. Eu estou tão feliz hoje! To voando até agora!”, comemorou em entrevista ao SóNotíciaBoa.

E agradeceu: “Depois de uma certa idade não é fácil, mas graças a Deus é mais uma conquista pra mim, como tantas, com ajuda da minha namorada e o esforço dos professores pra que eu não desistisse”, concluiu

História

Genilson, conhecido no Distrito Federal como Palhaço Psiu, foi obrigado a largar a escola em 1994. Há 3 anos, com apoio da namorada, ele voltou a estudar em uma escola pública de Brasília, na Asa Sul.

Cursou o EJA – Educação de Jovens e Adultos – uma modalidade destinada a pessoas que não conseguiram concluir os estudos.

Agora com diploma na mão e sorriso no rosto ele arregaça as mangas para continuar uma missão anual que abraçou: entregar presentes para crianças carentes no Natal.

Palhaço Psiu entregando brinquedos / 2016 - Foto: arquivo pessoal /
Palhaço Psiu entregando brinquedos / 2016 – Foto: arquivo pessoal /

Psiu Noel 

Há 16 anos o palhaço faz a campanha Psiu Noel Natal Feliz, em que arrecada brinquedos novos – justamente porque ele só ganhava brinquedos usados quando vivia no orfanato.

No ano passado a meta era conseguir 15 mil brinquedos para comemorar os 15 anos da campanha. Deu certo!

Agora em 2017, com a crise que o país atravessa ele lamenta não ter conseguido chegar perto da meta de 2016.

“Eu conseguiu presentes para mandar para crianças do Piaui, da Bahia, Águas Lindas (Goiás) e de Brasília, mas ainda dá tempo das pessoas ajudarem”, convida.

Ele ainda tem esperança de conseguir mais presentes porque a arrecadação termina no dia 20.

Como ajudar
Para ajudar, é só telefonar ou mandar um WhatsApp para 61–98117-6101.

O Psiu vai buscar os brinquedos novos na casa, ou na empresa do doador.

Acesse aqui a página dele no Facebook.

Assista ao vídeo que gravamos com ele no ano passado, ajude e compartilhe!

Por Rinaldo de Oliveira, da redação do SóNotíciaBoa