‘Nuvem’ de dados de internet ajuda a aquecer casas na Suécia

730
Foto: Ericsson
Foto: Ericsson

A chamada ‘nuvem’ ou centro de informações, onde estão armazenados dados de redes como Facebook, Instagram, ou mesmo Netflix, está servindo pra aquecer casas.

O calor é energia e geralmente é descartado como um resíduo do processo.

Agora a Suécia decidiu aproveitar essa energia que sai destes centros – com tantas máquinas em funcionamento – num projeto chamado Stockholm Data Parks – Parques de Dados de Estocolmo, em tradução livre.

Como

Em Estocolmo, as torres de um destes servidores têm milhares de luzes que piscam sem parar com cabos em todas as direções e computadores que ficam quentes.

Pense no calor de um laptop multiplicado pelas milhares de máquinas de uma central: computadores conectados e ligados constantemente, fazendo tarefas complicadas, 24 horas por dia, sete dias por semana.

Para reduzir o calor e resfriar o ambiente são necessários muitos ventiladores e ar-condicionado para mantê-los refrigerados e operantes.

Vários importantes centros de dados de Estocolmo participam da iniciativa e o número está crescendo como um novo modelo de negócios.

Recentemente, o programa anunciou parcerias com centros de dados administrados por grandes empresas internacionais como a Ericsson (companhia de celulares que também ajuda a transmitir canais de TV da BBC) e a cadeia de roupas H&M.

Como funciona

O esquema para manter a temperatura baixa e transportar o calor é simples.

A água fria entra nos centros de dados por meio de canos e é usada para criar o ar frio, que evita o superaquecimento dos servidores.

Depois, a mesma água, que acabou sendo aquecida no processo, volta para os canos e segue para as dependências da agência Fortum, onde é distribuída para o aquecimento dos moradores.

O projeto funciona em parceria com o governo da cidade, a Fortum Värme – agência local de aquecimento e refrigeração – e outras instituições.

O Stockholm Data Parks espera gerar calor suficiente para aquecer 2.500 apartamentos até 2018, mas a meta a longo prazo é atender a 10% da demanda de aquecimento da cidade até 2035.

De acordo com os Data Centers By Sweden – que está lançando projetos parecidos ao de Estocolmo em todo território – apenas 10 MW (megawatt) de energia são necessários para aquecer 20 mil apartamentos modernos.

Um típico centro de dados do Facebook, por exemplo, usa 120 MW.

O governo sueco reduziu recentemente o imposto sobre eletricidade nos centros de dados.

A Suécia não quer que os centros tenham uma desculpa para se mudar para outros pontos da Europa.

Com informações da BBC.