Brasileira fica entre melhores do mundo em concurso de balé na Suiça

Carolyne Galvão em Lausanne
Carolyne Galvão em Lausanne

A bailarina brasileira Carolyne Freitas Galvão, de 17 anos, foi classificada entre as oito melhores do mundo na final da competição Prix de Lausanne 2018, na Suíça.

Com a classificação, a adolescente de Goiânia ganhou uma das oito bolsas para estudar durante um ano em alguma das 72 escolas e companhias parceiras ao redor do mundo.

“Este concurso é muito importante, ele abre as portas do mundo inteiro. Estou em dúvida entre o English National Ballet e o Boston Ballet”, disse a dançarina à RFI.

Carolyne Freitas Galvão estuda no Instituto Tecnológico de Goiás – Basileu França.

Durante sua participação, nos dias 28 de janeiro a 4 de fevereiro, Carolyne Galvão foi avaliada pelo público de vários países por meio da internet.

A partir dessa votação, ela também ganhou o Prêmio da Audiência Pública por ser a mais bem votada.

Neste ano, a organização do Prix recebeu cerca de 380 participantes, de 38 países. Desse total, 78 candidatos foram selecionados para a etapa final realizada na Suíça.

“Isso é muito importante para mim, saber que as pessoas gostaram de mim”, disse a jovem bailarina.

História

Carolyne foi a Lausanne pela segunda vez. A primeira foi há dois anos, quando tinha apenas 15 anos.

Desta vez ela dançou trechos de “Grand Pas Classique”, de Victor Gsovsky, do balé tradicional, e “Chroma”, coreografia contemporânea de Wayne McGregor.

Mas o sonho da jovem bailarina, entre os clássicos, é dançar o papel principal de “Don Quixote” ou “Lago dos Cisnes”.

Carol Galvão faz parte do corpo do Balé do Teatro-Escola Basileu França desde 2012.

Em julho, a bailarina brasileira e a coordenadora do Curso de Dança do Basileu, Simone Malta, estarão em outro concurso internacional, desta vez na Bulgária.

O concurso

Criado em 1973, o Prix de Lausanne é um concurso internacional anual para jovens com idades entre 14 e 19 anos.

O objetivo é descobrir, promover e ajudar os melhores talentos nessa faixa etária.

Este ano, 74 jovens bailarinos participaram da competição, incluindo três do Brasil.

Foto: divulgação
Foto: divulgação

Com informações da RFI e Aredação