Enfermeira da linha de frente da covid reencontra filhas após 2 meses: Vídeo

Foto: SWNS
Foto: SWNS

A enfermeira Suzanne Vaughan, de 43 anos, finalmente reencontrou as filhas, após 9 semanas trabalhando em turnos seguidos no front para atender pacientes com a covid-19.

Ela, que é mãe solo e trabalha no Hospital Queen Elizabeth, em Nortfolk, na Inglaterra, teve que se separar das duas filhas – decisão difícil que tomou para deixar as garotinhas em segurança.

“Eu trouxe as meninas para a casa da minha irmã porque queria mantê-las seguras, porque trabalho no hospital e isso me expõe ao vírus todos os dias”, disse Suzanne.

“Mas eu também queria trabalhar mais e não podia fazer mais horas extras e ficar com as meninas. Foi uma decisão realmente difícil, mas foi um sacrifício que precisava ser feito”, afirmou.

Suzie trabalha 28 horas por semana e se ofereceu para trabalhar mais de 50 horas por semana, pra ajudar no combate à pandemia do coronavírus.

Bom dia

Ela contou que nunca deixou as filhas acordarem sem um bom dia.

“Houve muitas vezes em que pensei comigo mesma que não podia mais fazer isso. Estava [tudo] quieto, ninguém correndo, gritando ou rindo… era horrível”, lembrou.

A surpresa

Mas depois de mais de dois meses trabalhando 24 horas na UTI, ela finalmente teve a chance de abraçar as filhas e “colocar minhas meninas em primeiro lugar”, disse.

Na cena do último domingo, ela se esconde atrás do sofá e surpreende Bella e Hettie, 9 e 7 anos, que estavam com a tia Charlotte em Peterborough.

“Muitos colegas meus fizeram os mesmos sacrifícios porque queremos ajudar as pessoas e combater esse vírus. Era algo que eu precisava fazer – trabalho há mais de 20 anos porque quero ajudar as pessoas”, afirmou a enfermeira.

Suzanne disse que não queria decepcioná-las, caso algo não desse certo, então manteve a surpresa em segredo – mas valeu a pena.

“Eu simplesmente não queria deixá-las sair [do abraço]. Foi fantástico!”

Assista:

Com informações do GNN