Mulher que morava na rua pega Covid e reencontra família após 10 anos

Carla na vídeochamada com a família - Foto: reprodução / TVGlobo
Carla na vídeochamada com a família - Foto: reprodução / TVGlobo

A vida de Carla Vieira da Silva, de 37 anos, tinha tudo para estar com os dias contados. Longe da família há 10 anos, dependente de crack e moradora em situação de rua, no Rio de Janeiro, ela pegou Covid-19 e foi parar no hospital.

Carla buscou ajuda no Hospital Municipal Ronaldo Gazzola, no dia 15 de maio, mas teve crises de abstinência e abandonou o tratamento.

Persistente, uma equipe multidisciplinar do hospital foi atrás dela e os profissionais da saúde a convenceram a ficar internada para se tratar.

A família

A ajuda também veio de fora, por uma videochamada de parentes dela, que moram em Lagoa da Prata, Minas Gerais.

Nas chamadas visitas virtuais Carla se reaproximou da família e viu novo sentido para a vida dela.

“Isso me deu vontade de viver de novo”, afirmou ao G1.

As conversas deram forças à paciente, que combatia a Covid-19 e a dependência.

“De alguma forma a Covid-19 fez com que ela resgatasse a sua cidadania. Ela conseguiu um sentido para a vida dela”, disse a psicóloga Paola Dantas.

Desenhar

No hospital, descobriu nos lápis de cor um hobby e uma saída para a dependência química.

“Quero sempre poder estar na condição de desenhar. Esse agora é o meu vício”, disse.

Agora recuperada do novo coronavírus, ela será acolhida pelos parentes.

Com informações do G1