Mulheres que venceram câncer fazem perucas pra pacientes com a doença

Voluntárias e a diretora Ana (frente) - Foto: divulgação
Voluntárias e a diretora Ana (frente) - Foto: divulgação

Um ato de empatia e solidariedade! Mulheres que venceram o câncer, ou ainda estão em tratamento oncológico, estão fazendo perucas para levantar a autoestima de pacientes que continuam na luta contra a doença.

São voluntárias, em sua maioria mulheres, do Instituto Amor Rosa, de São Paulo, que está precisando de ajuda (veja abaixo)

“Nosso banco de perucas já doou mais de 250 perucas em 3 anos. Fazemos perucas em parceria com pacientes desde 2018”, disse a diretora do instituto, Ana Maria Obranovich Rosa, em entrevista ao SóNotíciaBoa.

Ela explicou que “normalmente quem é de São Paulo, ou região de periferia marca conosco. Ela é atendida por algum voluntário da área de estética que apresenta as melhores opções dentro das características físicas da paciente”.

Mas o instituto também atende pacientes de outras partes do Brasil.

“Para outras regiões, a pessoa manda 2 ou 3 fotos e a responsável procura a que mais parece com seu biotipo. A peruca então é sempre enviada via correio na chamada “caixa magica” que contém a peruca, um lenço, um batom, um lápis de sobrancelha e um par de brinco combinando com o lenço. Enviamos via correio sem custo para a paciente para qualquer estado, ou cidade.

Quem precisar, pode fazer contato pela página do instituto no Facebook.

Terapia

O serviço funciona como uma espécie de terapia para as voluntárias.

“Antes de passar meus dias no instituto eu não conseguia dormir. Ficava com o tempo muito ocioso, agora consigo descansar e aproveitar bem melhor a vida, até meu médico indicou que continuasse indo ao Instituto para auxiliar no tratamento”, disse  Neusa de Fátima de Jesus.

Neusa ainda não está curada, mas mesmo assim trabalha para ajudar ao próximo paciente que aparecer.

“Conheci o instituto depois do falecimento da minha mãe que tinha câncer e encontrei Ana [pelas redes sociais] e fui entregar os medicamentos que sobraram da minha mãe. [Foi quando] conheci o trabalho que ela fazia nos hospitais”, contou Angela Catalano.

Ajuda

“Um dos maiores motivos para esse trabalho acontecer é o sorriso que ganhamos de todas as pacientes”, afirmou Ana Maria Obranovich Rosa.

O Instituto Amor Rosa existe desde 2014 e não recebe ajuda de empresas nem do governo.

Tudo o que consegue é por doação de pessoas físicas e por meio da arrecadação para reciclagem de tampinhas PET – foi aberta uma vaquinha pra levantar R$ 2.300 e comprar produtos que estão em falta nessa pandemia.

“Estão faltando muitos produtos no kit de higiene, essencial nesse momento, já que é possível matar o vírus com álcool, água sanitária e sabão”, disse.

Para ajudar na vaquinha, clique aqui.

Perucas do Instituto Amor Rosa - Fotos: divulgação
Perucas do Instituto Amor Rosa – Fotos: divulgação

Por Rinaldo de Oliveira, da redação do SóNotíciaBoa