Teatro em casa. Artistas encenam peças online, no palco e ajudam técnicos

Marcelo Serrado e Paulo Betti em cena - Fotos: reprodução/ Teatro PetraGold
Marcelo Serrado e Paulo Betti em cena - Fotos: reprodução/ Teatro PetraGold

A classe artística sempre se reinventa e agora, em tempos de pandemia – com teatros fechados – grandes atores se uniram para presentear o público com espetáculos e ao mesmo tempo ajudar técnicos que ficaram desempregados após a pandemia.

Nomes como Paulo Betti, Marcelo Serrado, Ana Beatriz Nogueira e Emílio Orciollo Neto estão encenando peças direto do Teatro PetraGold, no Leblon, Rio de Janeiro, com transmissão ao vivo pela internet.

O ator Paulo Betti disse em entrevista ao SóNotíciaBoa que a experiência do projeto Teatro Já é nova e emocionante.

“É o teatro completo que a gente leva para a casa das pessoas: palco, cenário figurino, iluminação, projeções… Temos quatro câmeras e quem assiste em casa pode escolher em qual delas quer acompanhar”.

Respeitando as normas de distanciamento social, a plateia tem apenas um espectador e ele simboliza as pessoas que assistem às transmissões on-line, onde estiverem.

Sucesso

A ideia nasceu em abril, durante uma conversa entre a atriz Ana Beatriz Nogueira, que é curadora do projeto, e André Junqueira, administrador do novo Teatro Petra Gold.

A estreia do projeto Teatro Já foi este mês e pessoas de várias partes do mundo e regiões distantes do Brasil estão tendo a oportunidade de “ir ao teatro” sem sair de casa.

“É uma oportunidade. Algumas pessoas estão vendo uma peça pela primeira vez. Nunca foram ao teatro e se sentem maravilhadas”, contou André.

E ele revelou que o projeto já é um sucesso: “o público chega a até 700 pessoas online”, comemorou.

Emoção e solidariedade

Um dos pontos altos da peça é quando o público aparece no teatro pelo aplicativo Zoom.
“A gente faz uma projeção na tela, diz que para as pessoas abrirem a câmera e elas podem interagir, conversar com o ator. É emocionante”, disse.

Bom para o ator, para o público e também para os técnicos do teatro, que perderam os empregos quando as salas tiveram que fechar em março, por causa da Covid-19.

Os ingressos custam R$ 12,50 e a metade do dinheiro arrecadado pela bilheteria é doada aos técnicos.

“Dois dias depois da sessão, o dinheiro chega e a gente repassa para os técnicos”, contou Paulo Betti.

Os espetáculos

Os espetáculos são sempre às 17 horas, para que possam ser vistos por brasileiros e também pelo público da Europa, devido ao fuso horário.

O ator Marcelo Serrado abriu a programação no início do mês, com o solo Os Vilões de Shakespeare.

A Ana Beatriz Nogueira, curadora do projeto, encena, a peça Um Dia a Menos, adaptação do conto homônimo de Clarice Lispector.

Paulo Betti estrela a sua Autobiografia Autorizada, que começou o ano em uma turnê em Portugal.

E Emílio Orciollo Neto sobe ao palco com Também Queria Te Dizer, inspirado no livro de Martha Medeiros.

Programação

O projeto Teatro Já tem uma longa programação até o fim do ano.

Veja aqui as peças, dias, horários, compre seu ingresso e mergulhe com eles no mundo do Teatro, agora, on-line.


Por Rinaldo de Oliveira da Redação do SóNotíciaBoa