Cientistas projetam máscara ideal reutilizável contra o coronavírus

Foto: Christopher Moore, Georgia Tech
Foto: Christopher Moore, Georgia Tech

Uma máscara facial reutilizável, que protege os usuários e as pessoas ao seu redor contra o SARS-CoV-2, o novo coronavírus, foi criada por pesquisadores norte-americanos.

Ela é confortável o suficiente para ser usada o dia todo e permanece no lugar sem que a pessoa precise ficar ajustando toda hora.

Após décadas de experiência, os pesquisadores do Instituto de Tecnologia da Geórgia criaram a máscara e estão disponibilizando o projeto livre de patente, para qualquer pessoa ou indústria fabricá-la.

“Adotamos uma abordagem baseada na ciência para projetar uma máscara melhor e estamos muito entusiasmados em fazer com que ela seja divulgada para que as pessoas possam usá-la para ajudar a protegerem a si mesmas e a outras pessoas do perigo,” disse o professor Sundaresan Jayaraman.

A máscara modular combina um material de filtragem com um tecido elástico para mantê-la no lugar.

Material reutilizável

Os protótipos feitos para teste usam ganchos e fechos na parte de trás da cabeça, e incluem um bolso para um filtro opcional, para aumentar a proteção.

Após 20 lavagens, os protótipos não encolheram e nem perderam a forma.

Melhor que as de pano

A falha fundamental nas máscaras de pano reutilizáveis é que – ao contrário dos respiradores N95 – elas vazam ar pelas bordas, ignorando seu mecanismo de filtragem.

Isso permite que partículas de vírus, gotículas grandes e até aerossóis menores, entrem no ar inspirado pelos usuários e permitem que partículas de pessoas infectadas saiam da máscara.

Não embaça

O problema do vazamento aparece nas reclamações sobre óculos, que embaçam conforme o ar exalado vaza ao redor do nariz, tornando menos provável que as pessoas usem as máscaras.

Ela também evita que o usuário faça ajustes constantes, que podem contaminá-lo sempre que tocam nas máscaras, após tocarem em outras superfícies.

Sem vazamento

Pra evitar vazamento, Jayaraman e sua colega Sungmee Park criaram uma máscara de duas partes que é presa atrás da cabeça como os respiradores N95.

A parte frontal – o componente de barreira – contém o material que filtra e se ajusta firmemente, permitindo espaço à frente do nariz e da boca para evitar restrições respiratórias e permitir falar sem restrições.

Filtro

Essa parte frontal é feita com um material que absorve a umidade, o mesmo tipo usado em roupas esportivas, e inclui um bolso no qual um filtro pode ser inserido para aumentar a eficiência da filtragem e, assim, aumentar a proteção.

O filtro de tecido lavável é feito de uma mistura de Spandex e poliéster.

A segunda parte da máscara é feita de material elástico.

A parte extensível, que possui orifícios para as orelhas para ajudar a posicionar a máscara, mantém a parte frontal no lugar e é presa com ganchos convencionais e ilhós, um mecanismo que é usado em roupas há séculos.

Com informações do Diário da Saúde