Novo robô combate incêndios dentro de prédios e protege bombeiros

RS3 em operação - Foto: Gary Apodaca / LAFD, CC
RS3 em operação - Foto: Gary Apodaca / LAFD, CC

O Corpo de Bombeiros de Los Angeles apresentou esta semana um novo robô que ajuda a combater incêndios em locais de difícil acesso e ainda protege os bombeiros.

O RS3 – Thermite Robotic Systems 3 – considerado o “primeiro robô bombeiro” dos EUA, consegue entrar no meio de um prédio em chamas para fazer o serviço que seres humanos nem sempre são capazes de fazer, por causa do calor excessivo e dos gases tóxicos. (vídeo abaixo)

“[Agora] podemos combater o incêndio de dentro”, disse o chefe do LAFD Ralph Terrazas à agência de Los Angeles Times.

O robô

Ele é do tamanho de um carro smart, consegue passar por um conjunto de portas duplas e abrir caminho através de uma parede, se houver necessidade.

O RS3 pesa 3.500 libras – pouco mais de 1.500 kg – e é capaz de soltar 2.500 galões de água por minuto.

O robô pode ser operado por um controle remoto portátil a uma distância segura e tem ainda um stream de vídeo de alta definição para que o operador possa manobrá-lo facilmente, mesmo em condições difíceis.

Antes de ser apresentado, ele foi testado ao lado de 130 bombeiros humanos para ajudar a extinguir um incêndio comercial de “grandes proporções” no centro de Los Angeles.

Apesar da gravidade do incêndio, que forçou os bombeiros a se retirarem dos dois prédios e usarem suas mangueiras por fora, o RS3 foi capaz de seguir em frente e disparar seu canhão de água lá dentro.

A Fundação LAFD conseguiu comprar o robô de nível militar para o Corpo de Bombeiros graças a uma “doação considerável”, feita durante campanhas de arrecadação de fundos.

O RS3 agora será usado pelo Corpo de Bombeiros 3, o mais movimentado da cidade de Los Angeles.

Ah, e o robô não vai roubar empregos, mesmo porque precisa ser controlado por humanos. Ele precisa de 6 a 8 pessoas para operá-lo.

RS3 em ação - Foto: reprodução / Youtube
RS3 em ação – Foto: reprodução / Youtube

Veja ele em ação:

Com informações do GNN