Butantan recebe dois últimos lotes de vacina contra Covid: 11 milhões no total

1926
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Mais 500 mil doses da vacina do Butantan chegaram hoje em São Paulo.

Na quarta-feira, 30 chega o sexto lote, última remessa, com 1,5 milhão de doses prontas pra entrega.

Segundo o Governo do Estado, a carga desembarcou por volta de 11h30 no aeroporto de Guarulhos. O voo da Turkish Airlines saiu de Pequim, na China, e fez escala na Turquia.

Todo o lote que chegou hoje é composto por doses já prontas para a aplicação.

No total já foram recebidas cerca de 11 milhões de doses em solo brasileiro ainda este ano.

Parceria

A parceria entre o Butantan e a biofarmacêutica Sinovac Biotech foi firmada no dia 10 de junho.

O primeiro lote com 120 mil doses chegou ao Brasil no dia 19 de novembro.

O segundo carregamento, com 600 litros a granel do insumo, correspondente a um milhão de doses, desembarcou em 3 de dezembro. Já a terceira remessa, com 2 milhões de doses, foi recebida em 18 de dezembro.

Na véspera de Natal, 24/12, São Paulo recebeu a maior carga de vacinas com 5,5 milhões doses composta por 2,1 milhões de forma pronta para aplicação e mais 2,1 mil litros de insumos, correspondentes a 3,4 milhões de doses que serão envasadas no complexo fabril do Butantan, também em São Paulo.

“Chegamos ao fim de 2020 com aproximadamente 11 milhões de vacinas em solo nacional, garantindo o compromisso do Butantan em viabilizar o imunizante para a população brasileira para que, assim que registrar pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária, possa ser iniciada a vacinação”, afirmou Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan.

Eficácia

Durante coletiva realizada no Instituto Butantan na última quarta-feira 23/12 foi informado que a vacina contra o Coronavírus atingiu índice de eficácia superior ao mínimo recomendado pela OMS (Organização Mundial de Saúde) e, assim, poderá ter seu registro aprovado para imunizar a população.

Atendendo a um pedido da Sinovac, previsto contratualmente, o Butantan encaminhou a base primária de dados da fase 3 dos testes clínicos realizados no Brasil em 16 centros de pesquisa, com cerca de 13 mil voluntários.

O objetivo é que os dados sejam comparados a resultados de pesquisas em outros países, evitando que a vacina tenha diferentes índices de eficácia anunciados.

A avaliação deverá ser concluída em até 15 dias, contados desde 23 de dezembro, podendo ser antecipada. Na sequência, os resultados finais serão encaminhados à Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e à National Medical Products Administration, da China.

Da redação do SóNotíciaBoa – com informações do Instituto Butantan