Estudo mostra que vacinação completa reduz risco de infecção em 90%

2670
Foto: reprodução Nature
Foto: reprodução Nature

Uma vacinação completa reduz o risco de infecção por coronavírus em cerca de 90%, de acordo com um estudo feito com enfermeiras, bombeiros e outros trabalhadores da linha de frente dos EUA, que foram imunizados com vacina baseada em mRNA.

Os ensaios clínicos demonstraram que as vacinas baseadas em mRNA feitas pela Moderna e Pfizer – BioNTech são altamente eficazes na proteção de pessoas contra doenças causadas pelo SARS-CoV-2.

Para saber se as vacinas também protegem as pessoas de serem infectadas foram estudados estudaram os resultados do teste SARS-CoV-2 de quase 4.000 pessoas na linha de frente que estão em alto risco. O trabalho foi feito por Mark Thompson e seus colegas do Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA em Atlanta, na Geórgia.

Totalmente imunizados

Os participantes do estudo foram vacinados entre meados de dezembro de 2020 e meados de março de 2021.

Após a vacinação, eles limparam seus próprios narizes para teste viral uma vez por semana durante 13 semanas.

Os participantes foram considerados totalmente imunizados duas semanas após o recebimento da segunda dose da vacina.

A imunização completa foi 90% eficaz na proteção das pessoas contra infecções e uma dose única foi 80% eficaz.

Mas os pesquisadores alertam que, como poucos participantes foram infectados após a vacinação, é difícil afirmar com alta precisão a eficácia das vacinas contra a infecção.

Por Andréa Fassina, da redação do Só Notícia Boa – Com informações da Nature