Jovem vendedor de melancia passa em Medicina na UFG [vídeo]

Kayan Soares passou em Medicina na UFG - Fotos: arquivo pessoal
Kayan Soares passou em Medicina na UFG - Fotos: arquivo pessoal

Esse rapaz, que vende melancia na barraquinha do pai, à beira de uma avenida em Goiás, passou em Medina na UFG, em Goiânia.

Kayan Soares Rocha, de 20 anos, é um desses jovens brasileiros obstinados, que sabem que só pela educação vão conseguir melhorar na vida.

Ele contou em entrevista ao Só Notícia Boa que estudou em casa durante a pandemia e fez cursinhos online para conseguir atingir a pontuação na prova.

“Eu fiz cursinho até a metade de 2019 em Minas Gerais, onde eu morava e no segundo semestre cursei aqui em Aragarça, para onde me mudei. Aí em 2020 veio a pandemia e não pude fazer cursinho presencial. Eu peguei os livros dos cursinhos anteriores e estudei em casa mesmo e fiz cursinho online”.

Família simples

Kayan vem de uma família simples. O pai dele é dono da banca de melancia e a mãe é dona de casa.

Ele disse que os pais ficaram muito felizes com a conquista do filho, mas que não teve festa para comemorar a conquista.

“Ah, tô feliz demais com essa vitória […] É só alegria aqui em casa, mas comemoração não teve, não”.

Ajuda

Kayan agora corre para levantar a documentação e fazer a matrícula no curso de Medicina na UFG.

As aulas começam em julho e ainda não sabe como vai fazer para comprar os livros e equipamentos necessários para fazer o curso.

“Se tiver algum médico que tenha livros, que possa me ajudar, eu agradeço, porque agora vou precisar de equipamentos caros e não tenho dinheiro pra comprar. Minha família não tem condições de me ajudar”, afirmou o futuro estudante de Medicina.

Se você puder ajudar o Kayan, entre em contato com ele pelo Instagram.

Kayan Soares comemora aprovação em Medicina - Foto: arquivo pessoal
Kayan Soares comemora aprovação em Medicina – Foto: arquivo pessoal
Kaian, a melancia e o amigo Lucas - Foto: arquivo pessoal
Kaian, a melancia e o amigo Lucas – Foto: arquivo pessoal

Por Rinaldo de Oliveira, da redação do Só Notícia Boa