Estimulação transcraniana pode ajudar no tratamento de Parkinson

671
Estudo da Unesp atestou que a estimulação craniana melhora sintomas do Parkinson - Foto: Getty Images
Estudo da Unesp atestou que a estimulação craniana melhora sintomas do Parkinson - Foto: Getty Images

Pesquisadores da Universidade Estadual Paulista (Unesp), em Rio Claro, descobriram que a estimulação transcraniana (tDCS) pode ajudar pacientes com Parkinson.

O estudo foi realizado em sessões de exercícios aeróbicos e mostrou que o estímulo, combinado ao esforço, traz melhoras diretas no andar dos pacientes.

A pesquisa foi publicada na revista científica Neurorehabilitation & Neural Repair.

A melhora dos pacientes

Os cientistas perceberam uma melhora na variabilidade da marcha, no controle executivo do andar e no tempo de reação dos pacientes.

A degeneração do sistema nervoso provocada pela Doença de Parkinson leva, além dos tremores propriamente, a uma perda do controle motor.

As funções cognitivas e as atividades cerebrais dos pacientes foram monitoradas antes e depois das sessões, para que todo avanço fosse documentado.

Estimulação craniana

Dois eletrodos foram posicionados em pontos específicos do crânio e fixados sobre o couro cabeludo dos pacientes.

A partir dos eletrodos, os testes foram realizados, oferecendo uma corrente muito baixa, de 2 miliampere, porém eficaz para estimular os neurônios.

Cada sessão durou 30 minutos e combinou a prática de ciclismo em intensidade moderada à estimulação pelos eletrodos.

A pesquisa foi feita com 20 pacientes divididos entre grupos ativos e placebo, em duas sessões com intervalo de uma semana entre cada uma.

Os pesquisadores fizeram análises de desenvolvimento espaço-temporal, assim como comprimento dos passos, quantidade e velocidade da marcha foram estudados para determinar os possíveis efeitos.

Os pontos 1 e 2 mostram onde os eletrodos são aplicados para o estudo - Foto: reprodução
Os pontos 1 e 2 mostram onde os eletrodos são aplicados para o estudo – Foto: reprodução
Ressonância do antes e depois do uso dos eletrodos - Foto: reprodução
Ressonância do antes e depois do uso dos eletrodos – Foto: reprodução

Com informações de Hypeness.